Níveis alarmantes de desigualdade no Brasil

    O 1% mais rico do Brasil fica com 27% da renda nacional. Os 10% mais ricos, com 55% - Um estudo coordenado pelos franceses Thomas Piketty, autor do best-seller O Capital no século XXI, e Lucas Chancel, da Paris School of Economics, mostrou que a...

    Fórum Alternativo Mundial da Água

     - Movimentos sociais defendem luta contra privatização da água -  A luta contra a privatização das empresas públicas de abastecimento de água e saneamento foi defendida por convidados em audiência da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia...

    No tribunal, os pobres não votam

    Com números, André Singer mostra os sinais que vêm do povão, diante do embrulho em que as aventuras político-judiciais nos meteram e ameaçam nos envolver de vez, na sala de sessões do TRF-4, onde trêes homens – bem-postos e com as vidas resolvidas...

    Lula vence no primeiro turno, diz pesquisa

     O ex-presidente Lula disparou nas pesquisas e venceria as eleições de 2018 já no primeiro turno. É o que diz sondagem do Data Poder 360, do jornalista Fernando Rodrigues, divulgada nessa sexta-feira (15). É o primeiro levantamento eleitoral após o...

    STJ derruba dirigente do Sistema S

    O Sistema S finalmente entrou no radar do judiciário, pois, ontem sexta-feira (15), o ministro Napoleão Maia, do STJ, determinou o afastamento imediato de Orlando Diniz do comando do sistema Sesc/Senac no Rio. A tendência é que as investigações se...

    separador 1

    Notícias locais

     A prefeitura de Montes Claros através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, selecionou na manhã desta quarta-feira, 16 projetos voltados para a temática ambiental, de...
    A Mostra Dia dos Gerais, realizada em Montes Claros, foi o primeiro projeto realizado com recursos provenientes do Sistema Municipal de Incentivo à Cultura – SISMIC – da Prefeitura de Montes Claros....
    Mais emNotícias Locais  

    Notícias regionais

     - Movimentos sociais defendem luta contra privatização da água -  A luta contra a privatização das empresas públicas de abastecimento de água e saneamento foi defendida por convidados em audiência da...
     Os municípios do Norte de Minas estão propensos a fazerem um novo consórcio intermunicipal para assim, assumirem a função de licenciamento ambiental, que passou a ser de responsabilidade das...

    Notícias nacionais

    O 1% mais rico do Brasil fica com 27% da renda nacional. Os 10% mais ricos, com 55% - Um estudo coordenado pelos franceses Thomas Piketty, autor do best-seller O Capital no século XXI, e Lucas...
    Com números, André Singer mostra os sinais que vêm do povão, diante do embrulho em que as aventuras político-judiciais nos meteram e ameaçam nos envolver de vez, na sala de sessões do TRF-4, onde...

    separador 1

    Mundo

    Thumbnail  - Resistência popular definiu vitória na Venezuela -  O Partido Socialista Unido da Venezuela venceu pelo menos 90 por cento das 335 prefeituras disputadas nas eleições municipais neste domingo (10). A...
    Mais emMundo  

    Esportes

    Thumbnail   Equipe argentina ficou com o título após empate em duelo no Rio de Janeiro em cima do Flamengo e  e calou o Maracanã  Mais uma vez, o Independiente calou o Maracanã. Como aconteceu em 1998, o time...
    Mais emEsportes  

    Segurança Pública

    Pressa da Lava Jato tem nome: Lula
    Quinta, 14 Dezembro 2017
    Thumbnail  O tribunal [de exceção] da Lava Jato corre. Tem pressa. Mas só em relação ao ex-Presidente Lula.   Por Paulo Pimenta Ao anunciar que o Tribunal Regional Federal da 4ª região agendou para o dia 24 de...

    www.autopecasONLINE24.pt

     

    separador blogosfera

    Temer não é audacioso, e sim oportunista

     LE MONDE: BRASIL COMPLETA UM ‘ANO HORRÍVEL’ DE TEMER NO PODER

     O jornal Le Monde desta terça-feira, 16, traz uma reportagem de página inteira sobre a situação política do Brasil; em texto de uma página, o jornal diz que Temer "tem dificuldade para impor sua legitimidade"; "Desconfortável, ele foge desse 'povo' que gostava tanto de Lula. Impopular, ele evita as cerimônias públicas, com medo de ser vaiado"; jornal francês diz que um ano após a saída de Dilma do poder, a recessão e o desemprego continuam destruindo o país, enquanto os escândalos de corrupção, que não poupam nenhum partido, provocam um vazio político; "Um espaço deserto que apenas Lula consegue ocupar", apesar das acusações de corrupção que também o atingem, analisa o texto


    Rádio França Internacional - O jornal Le Monde que chegou às bancas na tarde desta terça-feira (16) traz uma reportagem de página inteira sobre a situação política do Brasil. Com a chamada de capa "O ano horrível de Temer", a correspondente do vespertino em São Paulo faz um balanço do mandato desse "chefe de Estado acidental" que, segundo o texto, mergulha o país em uma profunda desordem.

    Um ano após ter substituído a presidente de esquerda Dilma Rousseff, Michel Temer, que é "motivo de chacota por seu excesso de solenidade, tem dificuldade para impor sua legitimidade", explica o jornal. "Desconfortável, ele foge desse 'povo' que gostava tanto de Lula. Impopular, ele evita as cerimônias públicas, com medo de ser vaiado", continua o vespertino.

    Para explicar esse contexto, a correspondente traça um perfil do atual presidente, lembrando que ele "representa melhor que ninguém a elite paulista". O texto qualifica Temer, ex-presidente da Câmara dos deputados e professor de direito constituicional de refinado, erudito, fã de poesia, e que usa sempre um vocabulário preciso. "Um aristocrata, que representa o oposto de Lula, o 'pai dos pobres', querido dos mais humildes e que adora pontuar seus discursos com metáforas futebolísticas", compara.

    Do lado político, Le Monde explica que o atual chefe de Estado é um especialista das negociações entre partidos, das alianças e das intrigas. Segundo o vespertino, Temer não é audacioso, e sim oportunista. Ao sentir que a rua começava a protestar contra Dilma, ele se afastou da presidente, se isentando de qualquer responsabilidade nos erros da então chefe de Estado, explica o texto.

    "Traidor para alguns, salvador da Pátria para outros, Temer prometeu, em seu primeiro discurso, reconciliar um Brasil castigado pelo impeachment. Mas seus primeiros passos foram apocalípticos", lembra a correspondente, frisando que o governo do novo presidente era composto apenas por homens, brancos e idosos, projetando uma imagem ultrapassada. Sem esquecer a polêmica tentativa de acabar com o ministério da Cultura e suas declarações desastrosas sobre as mulheres, que irritaram os feministas, enumera o texto.

    Mês após mês, a magra popularidade do presidente desmorona ao ponto de se aproximar de sua antecessora, constata a correspondente, lembrando que os muros das grandes cidades estão repletos de pichações "Fora Temer". Mesmo assim, o chefe de Estado não parece se incomodar, comenta a reportagem. Ele se sentiria apoiado pelo mundo dos negócios de direita para implementar seu impopular programa de reformas estruturais, como a da aposentadoria ou ainda o congelamento dos gastos públicos do país, continua o texto.

    A reportagem lembra que Temer não pretende se candidatar em 2018 e explica que um ano após a saída de Dilma do poder, a recessão e o desemprego continuam destruíndo o país, enquanto os escândalos de corrupção, que não poupam nenhum partido, provocam um vazio político. "Um espaço deserto que apenas Lula consegue ocupar", apesar das acusações de corrupção que também o atingem, analisa o texto.

    Leia na íntegra reportagem do Le Monde.

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper