- Eurico Miranda carregou por muito tempo a pecha de um inescrupuloso cartola-parlamentar – tinha motivos para isso. Agora, a bola passou para Zezé Perrella. O senador e ex-presidente do Cruzeiro personifica hoje a imoralidade na política e no futebol. - 

    por Augusto Diniz, via GGN

    Ainda vice-presidente do Vasco, Eurico Miranda se tornou deputado federal em 1994. Apesar do cargo no clube carioca, mandava mais que o presidente. Foi nesse período que começou a acumular desafetos pelo seu jeito destemperado, e por apresentar métodos de gestão nada éticos.

    Em 1998 foi reeleito deputado. Em 2001 quase perdeu o mandato por se tornar suspeito de evasão de divisas. No ano seguinte não conseguiu se reeleger, mas virou presidente do Vasco. Porém, já tinha acusações contra ele por desvio de recursos, crime eleitoral e enriquecimento ilícito, parte reunida no relatório de uma CPI do futebol realizada àquela época no Senado.

    O jeito debochado em lidar com as incriminações o fez um personagem folclórico do futebol e da política, mas que no fundo não passava de um sujeito vil. Em 2014, depois de seis anos, Eurico Miranda voltou à presidência do Vasco.

    Essa posição do Eurico de infame no meio político e futebolístico pertence hoje a Zezé Perrella. Ele ocupou quatro mandatos na presidência do Cruzeiro a partir de 1995. Foi eleito deputado federal em 1998 e deputado estadual em 2006. Tornou-se senador depois da morte de Itamar Franco, já que era seu suplente, permanecendo até hoje no cargo.

    Como dirigente do futebol, foi acusado de lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito. Já atuando no Senado, teve um helicóptero da família apreendido com quase meia tonelada de pasta básica de cocaína. O caso até hoje carece de explicação convincente, já que não houve condenação, embora a expressiva quantidade de drogas encontrada no aparelho revele indícios de rede de tráfico.

    Mas a passagem de bastão da canalhice-mor da tabelinha futebol-política de Eurico para Zezé Perrella ocorreu por esses dias – logo agora que ele se preparava para voltar à presidência do Cruzeiro.

    Zezé Perrella, na delação da JBS, segundo rastreamento da Polícia Federal, recebeu R$ 2 milhões por meio de uma empresa da família, recurso este desviado pelo seu aliado de longa data, Aécio Neves – o dinheiro, na verdade, tratava-se de propina pedida por Aécio a JBS.

    Perrella disse que nunca recebeu “um real sequer” da empresa. Mas tomou lugar de Eurico como infame cartola-político pelas provas contundentes apresentadas nesse caso pela Polícia Federal; e pelo histórico de dribles na Justiça a partir das fortes suspeitas recaídas sobre ele de todo tipo – assim como o fez Eurico Miranda ao longo de sua vida.

     Na abertura do Brasileirão, jogadores entram em campo protestando contra as reformas do governo

     - Atletas do Corinthians, Flamengo, Atlético Mineiro e Internacional de Porto Alegre realizaram um protesto inusitado na abertura do Campeonato Brasileiro de Futebol (Brasileirão) 2017. Contra a reforma trabalhista proposta pelo governo de Michel Temer, eles usaram tarja preta.


    Rodriguinho, do Corinthians, parece pedir aos céus que barrem a reforma trabalhista (Foto: Alex Silva/Estadão)

    "A reforma trabalhista quer parcelar as férias, o descanso semanal, entre muitos outros direitos", diz Carlos Rogério Nunes, secretário de Políticas Sociais, Esporte e Lazer da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

    "Muito bom ver que os jogadores dos clubes da elite do futebol entram nessa luta para barrar esse projeto, que acaba com a Consolidação das Leis do Trabalho e retrocede para décadas passadas", complementa.

    Orientados pela Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fepaf), os jogadores criticam a retirada de inúmeros direitos da classe trabalhadora. Mencionam a possibilidade de os patrões parcelarem suas férias e até o descanso semanal remunerado, dividindo em 12h cada descanso.

    D'Alessandro, do Internacional, comemora seu gol na vitória contra o Londrina, pela série B (Foto: Ricardo Duarte)

    "Modificação na estrutura do direito de arena, parcelamento de férias, repouso semanal remunerado em 2 períodos de 12 horas, fim do recesso coletivo do calendário e insegurança contratual estão nas propostas de mudança que tramitam no Congresso Nacional e causam revolta na categoria", afirma comunicado da Fepaf.

    Segundo a própria Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no ano passado atuavam no Brasil 28.203 jogadores profissionais de futebol. Sendo que somente 1.106 ganham acima de R$ 5 mil por mês e 82% recebiam menos do que R$ 1 mil, pouco mais que um salário mínimo.

    Atletas do Flamengo e Atlético Mineiro com a tarja preta do protesto (Foto: Pedro Martins/MoWa Press)

    “A reforma trabalhista liquida com direitos fundamentais da classe trabalhadora, prejudicando o decanso de que necessitamos para repor as energias. Certamente, essas propostas aumentarão os adoecimentos (leia mais aqui) e o tempo disponível para a família, o lazer, a cultura e para a prática esportiva", acentua Nunes.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

     Atlético empata fora de casa e Cruzeiro ganha no Mineirão

     Apesar das chances criadas na segunda etapa, com duas bolas tiradas em cima da linha do gol pela zaga adversária, os jogadores do Atlético valorizaram o resultado de empate em 1 a 1 contra a equipe do Flamengo no Maracanã, no sábado (13). O confronto abriu a edição 2017 do Campeonato Brasileiro.
    “Foi um grande jogo, condizente com a grandeza e rivalidade dos dois clubes. Pelo segundo tempo que fizemos, merecíamos ter saído com a vitória, eles salvaram duas bolas em cima da linha”, avaliou o goleiro Victor, que ainda reclamou de um pênalti não marcado a favor do Atlético na segunda etapa.
    “Se tivesse que haver um vencedor, seríamos nós, mas não podemos desprezar esse ponto conquistado fora de casa. O Flamengo vai tirar ponto de muita equipe de qualidade aqui no Maracanã”, completou.

    Já o Cruzeiro conseguiu a reação e superou o São Paulo, por 1 a 0, no Mineirão. O gol da vitória celeste sobre o Tricolor – que também vem de insucesso na competição internacional, além de quedas no Paulistão e na Copa do Brasil – foi anotado por Ramón Ábila. O centroavante argentino perdeu boas chances no primeiro tempo, mas garantiu o resultado positivo aos dois minutos da etapa final, após boa jogada de Alisson.

    Com os primeiros três pontos na Série A, o Cruzeiro se vinga do São Paulo, responsável por tirar a invencibilidade celeste na temporada, vencendo por 2 a 1, no Mineirão, pela Copa do Brasil, há um mês. Apesar do revés na ocasião, a Raposa garantiu a classificação diante do time de Rogério Ceni. A partida deste domingo ainda marcou o retorno do capitão Fábio como titular à meta cruzeirense.

     De 11 a 14 de Maio, no Parque de Exposição de Montes Claros

     Começa nesta quinta-feira (11) no Parque de exposição de Montes Claros, organizado pela Cia J.E. Rodeio do Brasil, o 1º Campeonato Norte Mineiro de Rodeio. Montarias em touros, mesa da amargura e shows ao vivo, são algumas das atrações. Além de completa praça de alimentação.
    A Cia.J.E. Rodeio do Brasil é uma produção dos irmãos Estrada, contendo uma estrutura profissional com arquibancada F1, camarote, arena completa, boiada, locutores, som, Iluminação, telão etc
    Segundo a DJ Lillian Estrada, da Comissão Organizadora, o palco está armado e a arena pronta para este importante evento. ''Já está tudo pronto. As arquibancadas e camarotes montados, a arena já preparada, a boiada selecionada, os peões confirmados, o locutor, que foi a sensação de Barreto, Júnyo Estrada, com a garganta afinada e os músicos estão prontos para darem seus shows '', disse. 

    O Asfalto do Rodeio

    Júnyo Estrada é um locutor que narra em média 40 Rodeios por ano. Sua presença é acompanhada por muitos fãs, alegria e emoção. Viaja o Brasil inteiro narrando as maiores festas do País. Embalou um público de mais de 50 mil pessoas em Barretos. Foi destaque em programas de TVs das Band, Record, SBT etc., tendo participado da cobertura do Circuito Nacional de Rodeio, do Esporte Espetacular, da Rede Globo.


    Rodeio
    Rodeio é uma prática competitiva que consiste em permanecer por até oito segundos sobre um animal, usualmente um cavalo ou boi. A avaliação é feita por um árbitro cuja nota é de 0 a 50 cada; onde avalia o competidor e o animal, totalizando a pontuação de 0 a 100.

    PROGRAMAÇÃO
    Quinta-feira, dia 11/05 - Abertura do rodeio, apresentação dos profissionais, montarias em touros e show com Edmilson Batista. Em homenagem ao dia das mães, as mulheres não pagarão ingressos no dia 11.
    Sexta-feira, dia 12/05 - Montarias em touros e em seguida show com Jean Karlo & Stradeiro
    Sábado, dia 13/05 - Montarias em touros e em seguida show com a Banda Fricote
    Domingo, dia 14/05 - Montarias em touros e em seguida show com a Banda 100 Pareia.  

     - Em um duelo digno dos maiores de Minas, o Atlético levantou a taça ao vencer o cruzeiro por 2 a 1 

     O técnico Roger Machado, que faturou seu primeiro título como treinador profissional, surpreendeu com a escalação de Adilson e a formação com três volantes. O tarimbado Mano Menezes, por sua vez, manteve a equipe do primeiro clássico.

    Precisando da vitória, o Cruzeiro procurou comandar o jogo, mas o Galo, incentivado por seu torcedor, não deixou o rival ganhar moral. Assim, na tabelinha com Fred, Robinho, em sua melhor atuação no ano, abriu o placar aos 12 min.

    A Raposa sentiu o baque e o alvinegro se manteve no comando. Aos 30 min, Robinho, de novo, balançou as redes, mas o assistente Richard Júnio de Souza marcou um impedimento que a TV mostrou que não houve.

    O Cruzeiro terminou a primeira etapa como o velho problema de não chutar a gol. O goleiro Victor quase não trabalhou. Para o segundo tempo, Ramón Ábila foi a arma de Mano Menezes. E deu certo! Com 7 min, o argentino já deixava tudo igual, enchendo o lado azul de esperança. O Cruzeiro, então, cresceu no jogo e o panorama mudou.

    O Atlético se viu acuado. Na tentativa de melhorar o contra-ataque, Roger colocou Maicosuel e Cazares em campo. E foi o equatoriano que achou Elias para fazer o segundo aos 24 min. À Raposa, só restou ir para o abafa. Com os nervos à flor da pele, Rafinha, do Cruzeiro, e Adilson, do Galo, ainda acabaram expulso no fim da partida.

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper