- O primeiro capítulo da final mineira aconteceu no Mineirão e terminou com um empate sem gols entre Cruzeiro e Atlético. O segundo será no Independência

    Raposa teve mais volume de jogo, mas não consegue furar o bloqueio alvinegro que mantém vantagem na final. No próximo domingo, no Horto, time de Roger Machado joga por um empate para ser campeão

    A festa das torcidas no Mineirão foi bonita. Cantos e provocações de ambos os lados. Durante o jogo, a 'guerra de vozes' seguiu entre cruzeirenses e atleticanos. No fim, com o empate por 0 a 0, sentimentos distintos. Os celestes deixaram o Gigante da Pampulha frustrados pelo resultado em casa. Mesmo assim, aplaudiram seus atletas e tentaram transmitir confiança para a finalíssima no Independência.

    Quando a bola rolou, os ânimos se acalmaram um pouco. As arquibancadas estavam mornas, como o jogo. As equipes se estudaram muito, sem criar oportunidades claras. De fora, o público mostrou desconfiança.

    Aos poucos, o jogo esquentou. As vibrações aumentaram. As reclamações também, com as equipes e com a postura omissa do árbitro Dewson Freitas. Apesar de jogadas duras no gramado, ele tentou controlar o clássico na conversa. Os atleticanos se empolgavam quando o time tinha a bola perto da área, mas foram os cruzeirenses que quase vibraram com as investidas de seu time no ataque. Ao fim da etapa inicial, aplausos de ambos os lados.

    Veio o segundo tempo e, com ele, ânimo renovado nas torcidas. Elias quase abriu o placar, e os alvinegros cantaram alto. Os celestes responderam após chute de primeira de Hudson. E gritaram mais alto com as boas finalizações de Ábila e Arrascaeta. Fred quase marcou, e os atleticanos voltaram a ter esperanças de uma vitória fora de casa.

    A partir dos 35 minutos, o ritmo alucinante dos times contagiou o Mineirão. Os cruzeirenses aumentaram o tom: “Zerô, zerô, zerô”. A resposta foi imediata: “Vamos ganhar Galo, vamos ganhar Galo”. No fim, empate sem gols e decisão da taça marcada para o Independência. Desta vez, 90% de atleticanos e 10% de cruzeirenses. O Atlético jogará pelo empate em casa, enquanto o Cruzeiro precisa da vitória para conquistar o título.

     - Clássico será transmitido no YouTube e Facebook - Dupla Atletiba se reúne, descarta ouvir Globo e irá transmitir final no Youtube e no Facebook

    A dupla Atletiba voltará a se encontrar no confronto de ida da final do Paranaense, no próximo domingo, na Arena da Baixada.

    Via Conversa Aafiada

     Os rivais tiveram reunião na semana passada e, com a confirmação do clássico, irão repetir mais uma vez a sua transmissão através do YouTube e do Facebook. O Atlético-PR descarta ouvir qualquer proposta da Globo, dona dos direitos de transmissão do campeonato e que provocou a ira também do Coritiba após oferta de ao redor de R$ 1 milhão considerada "absurda" antes da largada em 2017.

    Perguntado pelo ESPN.com.br sobre um possível acordo com a emissora carioca, o presidente do Conselho Deliberativo atleticano, Mario Cesar Petraglia, refutou. "Nenhuma chance! Repetiremos o modelo", disse. (...)
    Em tempo: no dia 19 de fevereiro, a Rede Globo impediu, via liminar, a transmissão da partida entre Atlético e Coritiba pelo YouTube. Os atletas dos dois times deram as mãos no centro do gramado e anunciaram o cancelamento do jogo. A partida, remarcada para o 1o de março, foi transmitida com sucesso pelo YouTube (e sem Globo). O Atlético venceu por 2x0.

     - A maioria dos ministros da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) votou nesta terça-feira (25) pelo retorno do goleiro Bruno à prisão. Foram 3 votos a 1, pela queda da decisão de fevereiro do ministro Marco Aurélio Mello de soltar o atleta; ministros Alexandre de Moraes, Rosa Weber e Luiz Fux votaram pelo retorno de Bruno à prisão; ministro Marco Aurélio votou pela permanência em liberdade; ministros analisaram um recurso da mãe de Elisa Samúdio contra a soltura, sob o argumento de que a liberdade do goleiro colocava em risco sua integridade física e a de seu neto, filho de Bruno com Eliza

    Chegou ao fim nesta terça-feira (25) o período de 60 dias em que o goleiro Bruno Fernandes pôde aproveitar sua liberdade provisória. Por 3 votos a 1, a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) revogou a liminar dada pelo ministro Marco Aurélio que concedia ao goleiro o direito de esperar em liberdade os julgamentos dos seus recursos e ainda negou o mérito do pedido de habeas corpus.
    Votaram a favor do retorno de Bruno à prisão, o relator do caso, o ministro Alexandre de Moraes, e também a ministra Rosa Weber e Luiz Fux. O único que votou contra o retorno à prisão do goleiro foi o ministro Marco Aurélio, o mesmo concedido o direito a liberdade ao jogador. Luís Roberto Barroso, que também faz parte da turma, não participou da reunião.
    Clique aqui para a íntegra do relatório
    Histórico
    Após jogar cinco partidas, sofrer quatro gols, levar um cartão amarelo e conseguir duas vitórias, Bruno trocará os gramados em que esteve nos últimos dois meses por um pequeno espaço em um centro de reclusão de Minas Gerais. Ainda não se sabe se o goleiro voltará para a Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac) em Santa Luzia, local onde ele cumpria sua pena desde setembro de 2015. A decisão ficará a cargo da Justiça.
    Com o pedido negado, o goleiro tem suas chances de liberdade esgotadas até que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) julgue a apelação contra a condenação de 22 anos e 3 meses, a qual o goleiro foi sentenciado em 2013, mas já estava preso desde 2010. Não há previsão para que esse julgamento aconteça no Tribunal mineiro.
    O caso Bruno
    Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pela morte da morte da modelo Elisa Samudio, que estava cobrando pensão do goleiro pelo filho que teve com ele, e também por ocultação do cadáver e o sequestro do filho da modelo. Além de Bruno, outras cinco pessoas foram condenadas por participação no crime. A ex-mulher dele foi absolvida da acusação de sequestro e cárcere privado do bebê.
    Quem votou na decisão sobre retorno de Bruno para a prisão
    1. Alexandre de Moraes - relator - voltar à prisão
    2. Rosa Weber - voltar à prisão
    3. Luiz Fux - voltar à prisão
    4. Marco Aurélio - defendeu a liminar e soltura de Bruno
    5. Luís Roberto Barroso - não participou da reunião
    Com jornal O Tempo

     - Confronto na decisão do Estadual aconteceu pela última vez em 2014; campeão será conhecido no próximo dia 7 de maio -

     Definidas as finais do Campeonato Mineiro. Atlético e Cruzeiro se enfrentarão na grande decisão do Estadual nos próximos domingos (dias 30 de abril e 7 de maio). O confronto volta a ser realizado após duas temporadas de hiato, uma vez que a Raposa acabou não regulando nas semifinais em 2015 e também em 2016.

    A última decisão estadual entre ambos, disputada em 2014, guarda boas recordações para os cruzeirenses, que após dois empates conquistaram o título, justamente no ano do bicampeonato brasileiro. Naquela mesma temporada, o Atlético conquistou a Copa do Brasil em cima da Raposa.
    Diferentemente de 2014, agora quem possui a vantagem do empate é o Atlético, que terminou a fase classificatória na primeira posição. O Cruzeiro, por sua vez, terminou em segundo.

     

    O volante Casemiro, do Brasil, disputa a bola com o paraguaio Almiron em partida das eliminatórias - Nelson Almeida/AFP

    DO UOL
    A Fifa divulgou nesta quinta-feira (6) o ranking mensal de seleções e confirmou o Brasil como novo líder. O país não ficava no topo da lista havia sete anos e chega à posição depois de nove vitórias seguidas.

    A seleção comandada por Tite ganhou 127 pontos depois de vencer Uruguai e Paraguai e chegou aos 1661, assim ultrapassando a Argentina (1603). Atual campeã mundial, a Alemanha é a terceira com 1464.

    A última vez em que o Brasil liderou o ranking da Fifa foi em maio de 2010, logo antes da Copa do Mundo da África do Sul, quando o time era comandado por Dunga.

    Desde que Tite estreou pela seleção brasileira, em setembro, foram nove vitórias em nove jogos - oito pelas Eliminatórias e um amistoso contra a Colômbia. O País se classificou à Copa do Mundo com antecedência ao vencer o Paraguai.

    Veja como será o top 10 do ranking da Fifa

    1 - Brasil - 1.661 pontos
    2 - Argentina - 1.603
    3 - Alemanha - 1.464
    4 - Chile - 1.403
    5 - Colômbia - 1.348
    6 - França - 1.294
    7 - Bélgica - 1.281
    8 - Portugal - 1.259
    9 - Suíça - 1.212
    10 - Espanha - 1.204.

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper