Gangue ruym

    Família do Lucas se diz ofendida com repercussão de falsa notícia

    lukinha- Em entrevista a reportagem do Jornal Gazeta Norte Mineira, a mãe do garotinho Lukinhas, Vanessa Costa, contou que a família ficou entristecida com o rumo que a história tomou nas redes sociais. Vanessa afirma que o fato da doença do filho ter sido usada com intuito político, foi desumano e que em momento nenhum eles tiveram intensão de acusar a prefeitura da cidade de ter cancelado o fornecimento da medicação.

    “Nós não temos nenhuma posição política, não defendemos nenhum tipo de partido. O mesmo problema que tivemos agora, já aconteceu em outros momentos, ao longo dos anos anteriores. Sempre fizemos a mesma postagem relatando o problema, mas nunca havia acontecido algo como isso”, relatou Vanessa.

    Ainda de acordo com a mãe do menino, o setor jurídico da prefeitura entrou em contato com o pai do garoto, Hélio Costa e convocou reunião para restabelecer os depósitos de forma rápida. “Ficou garantido o apoio da prefeitura em cumprir com a ordem judicial. O que queremos é isso, que o município, independentemente de quem seja o gestor, cumpra com a decisão da justiça. O importa para nós, é a saúde e o conforto do Lucas”, destacou Vanessa.

    Em seu perfil no Facebook, o pai do Lucas fez uma postagem esclarecendo sobre o ocorrido. No texto, ele diz o seguinte:

    “Passando aqui para esclarecer que como está escrito no post que fizemos nesta tarde, é que a secretária de saúde não repassou os cremes Curefini desde janeiro.Mas em momento nenhum dissemos que havia sido cancelado pela prefeitura o tratamento do Lucas! Agradecemos a todos pelo apoio, mas pedimos cuidado para lerem os posts para não interpretarem de forma errada e compartilharem e comentarem coisas que não foram ditas por nós! Deixando bem claro aqui, que não nos envolvemos com questões políticas e partidos, só queremos que seja cumprida a ordem judicial que temos”, destacou Hélio Costa.

    O prefeito municipal, Humberto Souto se manifestou sobre o assunto, e se desculpou com a família do Lucas, sobre a confusão que houve narealização dos repasses.

    “É importante que todos saibam, mas em especial a família do menino, que foi a maior atingida, que a confusão não foi intencional. No mês de novembro não ocorreu o depósito. Mas em dezembro, a prefeitura pagou R$ 61 mil, referente adois meses. Isso gerou a dúvida, porque a secretaria de saúde entendeu que se referia aos meses de janeiro e fevereiro. Mas na verdade, estavam sendo pagos novembro e dezembro. Essa situação foi esclarecida, e já foi definido o repasse dos valores referentes a janeiro, fevereiro e março, que será feito no próximo dia 19 deste mês”, garantiu o prefeito.

    Souto reiterou que lamenta que a situação de fragilidade da criança tenha sido usada como forma de oposição à gestão dele. “Foi uma atitude maldosa que usou a imagem do menino para gerar comoção, é lamentável que tenha ocorrido. Mas a família do Lucas pode ficar tranquila quanto ao cumprimento da lei e aos repasses em dia”, afirmou.

    Campanhas para ajudar o Lucas continuam | Apesar dos recursos mensais garantidos por lei ao Lucas Costa, a família tem uma série de gastos que o repasse não pode custear. Por esse motivo, a campanha para ajudar a manter a qualidade de vida do pequeno Lucas é feita de forma constante. “São essas doações que garantem o conforto dele. Os valores enviados pelo município custeiam os gastos das pomadas. Mas precisamos de uma série de outros materiais para manter a higiene dele e aliviar as dores. Por isso sempre estamos em campanha”, afirmou a mãe Vanessa.

    amigos do lucas

    Campanha do Lucas Costa é feita de forma permanente (Foto: Arquivo Pessoal)

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper