Manifestantes protestam no escritório de Raquel Muniz

    Cartazes cobraram o posicionamento da deputada A deputada Raquel Muniz (PSD), enfrentou a fúria dos movimentos sociais, ontem de manhã, em Montes Claros, quando várias pessoas se posicionaram em frente ao seu escritório político e reclamaram da posição delas contra a classe trabalhadora, seja na terceirização como na reforma agrária. A deputada estava no escritório discutindo com assessores como enfrentar os desgastes por causa da defesa do Governo. O curioso é que nessa manifestação contra ela estava o deputado Padre João, da bancada mineira na Câmara dos Deputados. No sábado passado os manifestantes tinham antecipado que cercariam a deputada montes-clarense nessa semana.

    Os manifestantes se concentraram em frente ao escritório de Raquel (Fotos: Girleno Alencar) A manifestação de ontem foi puxada principalmente pelos professores da rede estadual que estão em greve e por isso a concentração ocorreu na sede da Superintendência Regional de Ensino. O superintendente Roberto Torres explicou que a adesão dos servidores foi muito grande. O protesto saiu pelas ruas da cidade e passou na sede da Superintendência Regional de Saúde, onde chamaram os servidores para aderirem. Alguns foram para a porta principal aplaudir, mas ninguém aderiu. No escritório do deputado Tadeuzinho Martins Leite (PMDB), o diretor do SindUte, Geraldo Costa se queixou da posição do PMDB e PSDB, mas atacou apenas o deputado Saraiva Felipe.

    Depois os manifestantes passaram pela Prefeitura, onde receberam a adesão do presidente da Associação dos Servidores Municipais, Luiz Hernane Azevedo, que no microfone pediu a adesão dos servidores, mas não foi atendido. Depois se concentraram em frente aos prédios da Câmara Municipal, onde os vereadores Aldair Fagundes, Ailton Soares e Daniel Dias participaram; assim como depois seguiram para o escritório da deputada Raquel Muniz, onde deram uma vaia muito forte. Os manifestantes se deslocaram para a agência dos Correios, para protestar contra possíveis demissões.

    NORTE – O coordenador regional do SindUte, Geraldo Costa, afirma que o protesto de ontem ocorreu em várias cidades do Norte de Minas. Na cidade de Francisco Sá, a BR 251 foi fechada no trecho urbano, em evento comandado pelos professores. A Polícia Rodoviária Federal fez o acompanhamento da manifestação, pois a rodovia tem fluxo de 12.000 caminhões por dia e para evitar acidentes, passou a sinalizar o protesto, que demorou uma hora.

     

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper