- Raquel Muniz atacada em protestos pelas ruas de Montes Claros -

     A deputada Raquel Muniz e o presidente Michel Temer voltaram a ser alvos dos protestos realizados ontem de manhã em Montes Claros, organizados pelos movimentos sindicais e contra a reforma da previdência. O ato reuniu poucas pessoas, pois depois da aprovação da reforma trabalhistas, eles ficaram desanimados. Os coordenadores do protesto argumentaram que escolheram a deputada como vítima dos ataques pois é a única representante do Norte de Minas e que mesmo assim, votou a favor do Governo, para beneficiar o seu hospital, que desde então foi credenciado pelo SUS.

    A concentração ocorreu na praça Doutor João Alves, próximo a antiga casa da deputada Raquel Muniz e onde em 6 de fevereiro de 1930 ocorreu o ataque ao então vice-presidente Fernando Melo Viana, comandado pela Dona Tiburtina, que deu início ao Golpe de 1930, onde Getúlio Vargas foi eleito Presidente da República. Depois da concentração, os manifestantes saíram pelas ruas da cidade e se concentraram em frente a agencia do INSS em Montes Claros.

    Com palavras de ordem, os manifestantes acusaram Michel Temer de ter dado o golpe que derrubou Dilma Rousseff. Alertaram que depois da reforma trabalhista, que fragilizou os trabalhadores, ele está vendendo a classe trabalhadora para ajudar os grandes bancos. As ruas foram isoladas pela MCTrans e com isso, pequenos congestionamentos foram registrados na área central da cidade.

    Fonte: Girleno Alencar - Jornal Gazeta

     - Dodge nomeia procurador mineiro para sua equipe -
    Allan Versiani de Paula, de Montes Claros, será auxiliar da Procuradoria-Geral da República

    Procurador federal Alan Versiane de Paula (foto: Danilo Evangelista/Esp. EM/ D.A Press)

     Por Luiz Ribeiro - Estado de Minas

    Minas Gerais continua marcando presença na cúpula do Ministério Público Federal. Um mineiro passou a integrar a equipe da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Trata-se do procurador federal Allan Versiani de Paula, de Montes Claros. Ele foi nomeado por Raquel Dogde como auxiliar da Procuradoria-Geral da República.

    Allan tomou posse no MPF em 2005, quando foi designado para Campo Grande (MS). Depois, atuou por um curto período em Uberaba. Há quase 10 estava lotado em sua terra natal. Vale lembrar que Rodrigo Janot, antecessor de Dodge, é mineiro.

     Prefeitura amplia horário de funcionamento do Parque Municipal Milton Prates
    Fundado em 1969, o Parque Municipal Milton Prates é, hoje, um dos principais cartões postais da cidade de Montes Claros. Sua área de quase 200 mil metros quadrados abriga uma enorme lagoa (a Lagoa dos Patos), árvores de diversas espécies, pequenos mamíferos, aves, peixes, uma academia ao ar livre, restaurante, banheiros, o ginásio poliesportivo Ana Lopes e, agora, uma popular pista de caminhada que, por ser amplamente iluminada, vem sendo utilizada pela população até mesmo durante o período noturno.

    Até recentemente, o parque era aberto ao público das 7 às 18 horas, mas o horário de funcionamento do local está sendo ampliado, passando a ser das 6 às 21 horas.

    Com a mudança, a população terá mais tempo para aproveitar o espaço público de lazer com segurança, já que a Guarda Municipal permanece no local 24 horas por dia, sete dias por semana, garantindo a integridade dos visitantes e inibindo que o parque seja utilizado para a prática de delitos.

    Fonte: Ascom - Prefeitura de Montes Claros

     - O Programa utilizará a mão de obra de pessoas privadas de liberdade, para realizar serviços de interesse público em diversos espaços da cidade -

     Na próxima quarta-feira (29), o prefeito de Montes Claros, Humberto Souto, receberá em seu gabinete, uma equipe com 12 reeducandos, do regime semiaberto do Presídio Alvorada, em Montes Claros, que começará exercer atividades na Prefeitura de Montes Claros, através do projeto Para Além das prisões - PAP, que tem o objetivo retorná-los ao convívio social.

    O Programa utilizará a mão de obra dessas pessoas privadas de liberdade, após análise preliminar feita pelo sistema prisional e consentimento do Ministério Público e Judiciário, para realizar serviços de interesse público em diversos espaços da cidade que necessitam de cuidados especiais. Por ser um projeto piloto na região, o número inicial de pessoas será reduzido, mas, aos poucos, à medida que avançar, o mesmo agregará mais pessoas.

    Humberto Souto elogiou o projeto, afirmando que será uma contribuição “que vai servir de motivação para todas as prefeituras e entidades”. Ele lembrou que uma pesquisa recente mostrou que a principal preocupação do brasileiro é com a segurança, e que este tipo de iniciativa é importante justamente porque trabalha na recuperação do detento e na diminuição da reincidência: “estaremos ajudando não apenas estas pessoas privadas de liberdade, mas a sociedade como um todo”.

    Para o secretário municipal de Desenvolvimento Social Aurindo Ribeiro, a efetivação deste programa será um ganho para estas pessoas privadas de liberdade, pois oportuniza o convívio familiar e o apoio na diminuição da reincidência. “A secretaria municipal de Desenvolvimento Social elaborou um plano de atendimento de apoio psicossocial para os sentenciados selecionados e seus familiares, que conta até com oficinas de capacitação e orientação”.

    Para o promotor de justiça Paulo César Vicente de Lima, a Lei de Execução Penal brasileira prevê a remição de pena de pessoas sentenciadas a partir do trabalho. “A remição de pena é um dispositivo que permite ao sentenciado trabalhar três dias e ter um dia descontado de sua pena. Além disso, a Lei de Execução Penal prevê, também, que o condenado deve ter uma remuneração pecuniária de, no mínimo, três quartos do salário mínimo vigente no país”, explicou o representante do Ministério Público.

    Para o secretario municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Paulo Ribeiro, a cidade de Montes Claros precisa se inserir nas novas formas de entendimento do mundo e romper com noções do senso comum que propõem que toda pessoa condenada deve cumprir sua pena em regime fechado. “É preciso entender que a pessoa privada de liberdade teve retirado de si por decisão judicial apenas o seu direito de ir e vir, e não os demais previstos em Lei”, comentou Ribeiro.

    Arte: Gu Ferreira

     Montes Claros tem a primeira comunidade rural reconhecida como comunidade remanescente de quilombo

     Uma grande festa foi realizada na sexta-feira, 24, na comunidade rural de Monte Alto. O motivo da comemoração foi a conquista da certificação que reconhece a comunidade como remanescente de quilombo. A cerimônia foi iniciada com uma Missa. Logo após, houve o descerramento da placa que confere o título à comunidade.

    O reconhecimento de Monte Alto como remanescente de quilombo veio da Fundação Cultural Palmares, vinculada ao Ministério da Cultura, que por meio da Portaria nº 267 reconheceu a primeira comunidade quilombola de Montes Claros. Representando o município, participaram da cerimônia membros da Secretaria Municipal de Educação, da Secretaria de Agricultura, e da Secretaria de Desenvolvimento Social, que conduziu todo o processo para que a comunidade alcançasse a titularidade.

    A partir deste reconhecimento, Monte Alto poderá pleitear uma série de recursos em diversas áreas do Governo Federal, o que deverá alavancar o desenvolvimento e a valorização cultural e social da comunidade. Durante a cerimônia, a diretora de Políticas Sociais do Município, Aparecida Andrade, destacou a luta desempenhada por todos da Secretaria. “Este é só o começo da luta, pois agora se inicia a luta por melhorias para a comunidade. Lutaremos ainda mais para que grandes coisas se iniciem aqui”, explicou.

    O coordenador de Políticas de Promoção à Igualdade Racial, José Gomes, destacou a importância histórica desse acontecimento para Montes Claros. “Enfim a nossa cidade tem uma comunidade quilombola, um título muito importante para a valorização da cultura negra”, pontuou.

    O presidente da Associação dos Moradores de Monte Alto, Jeremias Ferreira, agradeceu os esforços conjuntos de apoio à comunidade. “O esforço da Administração, através do prefeito Humberto Souto, foi muito importante. Todo o processo ocorreu de forma rápida e essa conquista significa muito para nós”, disse.

    Quem também ficou muito feliz foi o morador Onofre Silva. Para ele, esta conquista reconhece a importância dos negros que fundaram a comunidade. “É um reconhecimento de toda a luta que eles tiveram para construir esse local”, destacou.

    Monte Alto – A origem de Monte Alto remonta ao final do século XIX e início do século XX, quando negros fugitivos de fazendas da região, onde eram mantidos em trabalho escravo, fundaram a comunidade de Furado Grande. No local eles viveram por muito tempo escondidos, até que em 1920 conseguiram um pedaço de terra doado pelo Sr. Manoel Souto, onde se estabeleceram definitivamente e fundaram a comunidade de Furado Redondo. O local passaria a se chamar Monte Alto somente na década de 1980.

    Ascom - Pefeitura de Montes Claros

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper