Manoel Gusmão: desconstruindo o discurso

     - Não faz mais sentido algum, críticas isoladas ao Temer, ao Aécio, ou a qualquer um dos agentes do golpe -

     O Aécio morreu politicamente e Temer cumpriu seu papel. Como o Moro e o judiciário por inteiro, também cumpriram.
    As siglas PMDB e PSDB não elegem mais presidente. E eles sabem disso. Vão lançar candidato próprio para tapiar. Mas dele só falarão no horário eleitoral.
    O candidato da direita é Bolsanaro. A ele, todos os recursos e toda mídia. Pouco provável que nessas alturas surja outro disfarce melhor.
    E o discurso já está pronto.
    Xingamentos furiosos ao PT, a Lula, a Dilma. Até aí normal. Mas o que vai atrair toda a massa acéfala dos coxinhas são os xingamentos de ladrões, corruptos, etc, etc, a Temer, a Aécio, ao PMDB, ao PSDB e tudo mais que representa a direita tradicional.
    E eles nos bastidores mandando aumentar o tom.
    Necessário se faz, desconstituir o discurso. Colar o bandido no lugar dele. Não deixar que ele se pose de adversário dos seus.
    Collor de ontem, caçador de marajás!
    O que o povo queria ouvir ontem!
    Bolsanaro de hoje, matador de bandidos!
    O que o povo quer ouvir hoje.

    E depois todos se agrupam, se eleito for.

    * Manoel Gusmão é contador e colaborador do EM CIMA DA NOTÍCIA

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper