Papa sugere que é melhor ser ateu do que católico hipócrita

    Em comentários improvisados, Francisco fez duras críticas a membros da própria Igreja

    CIDADE DO VATICANO - O Papa Francisco expressou mais uma crítica a alguns membros de sua própria Igreja nesta quinta-feira, sugerindo que é melhor ser um ateu do que um dos "muitos" católicos que, segundo ele, vivem uma vida dupla hipócrita.

    — É um escândalo dizer uma coisa e fazer outra. Isto é uma vida dupla — criticou. — Há aqueles que dizem "Sou muito católico, sempre vou à missa, pertenço a esta ou aquela associação".

    O argentino disse que algumas dessas pessoas deveriam na verdade falar: "Minha vida não é cristã, eu não pago meus empregados salários adequados, eu exploro as pessoas, faço negócios sujos, eu lavo dinheiro, (eu levo) uma vida dupla".

    — Há muitos católicos que são assim e causam escândalo. Quantas vezes todos ouvimos pessoas dizerem "se essa pessoa é católica, é melhor ser ateu'".

    Desde sua eleição em 2013, Francisco frequentemente disse aos católicos, sacerdotes e leigos, que praticassem o que sua religião prega.

    Em seus sermões, muitas vezes improvisados, ele classificou o abuso sexual de crianças por sacerdotes como sendo uma "missa satânica", disse que os católicos na mafia se excomungam e pediu a seus próprios cardeais que não agissem como se fossem "príncipes".

    Menos de dois meses depois de sua eleição, ele disse que os cristãos devem ver ateus como boas pessoas se fizerem o bem.

    PF PRENDE SUSPEITO DE OPERAR PROPINAS DO PMDB

    - Foi preso, nesta manhã, o lobista Jorge Luz, um dos mais antigos operadores da Petrobras, em nova fase da Lava Jato; ligado ao senador Jader Barbalho (PMDB-PA), ele é acusado de arrecadar recursos para o PMDB no Senado, para parlamentares como Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR), que defendeu o golpe de 2016, com a derrubada de Dilma Rousseff, como um trabalho para "estancar a sangria" da Lava Jato; nova fase da operação foi batizada como "blackout", numa referência ao nome de Luz; ao todo, foram expedidos 15 mandados, sendo dois de prisão.

    DELATADO PELA ODEBRECHT, SERRA PEDE DEMISSÃO

    O último a sair apaga luz

    Alegando motivos de saúde, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, pediu demissão do governo golpista Michel Temer nesta quarta-feira 22.

    O nome do ministro já havia aparecido na lista de políticos encontrada na casa do presidente da Odebrecht, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, durante a 23ª fase da Lava Jato, em fevereiro. Os funcionários também devem relatar sobre uma possível propina paga a intermediários de Serra no período em que ele foi governador de São Paulo, de 2007 a 2010.

    Oficialmente, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registrou a doação de R$ 2,4 milhões da empreiteira para o tucano em 2010. Os executivos ainda sugeriram que Serra era tratado nas negociações pelos apelidos de “Vizinho” e “Careca”.

    "Faço-o com tristeza, mas em razão de problemas de saúde que são do conhecimento de Vossa Excelência, os quais me impedem de manter o ritmo de viagens internacionais inerentes à função de chanceler", diz ele na carta; segundo o tucano, o tempo para sua recuperação, de acordo com os médicos, é de quatro meses.Isso é puro migué. Ele é um dos levaram bilhões de propinas da Odebrecht e o STF não consegue segurar mais a explosão pública do escândalo. Na verdade, José Serra está saindo de fininho, que é como fazem os corruptos e covardes do PSDB e outros partidos cúmplices do golpe. De gualguer maneira, já vai tarde...

    * Com informações da Folha de S. Paulo

    COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS VAI À ONU CONTRA VIOLAÇÕES AO EX-PRESIDENTE LULA

    padre joao dh

    - A Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, na figura de seu presidente, Padre João (PT-MG), e dos dois vice-presidentes, Nilto Tatto (PT-SP) e Paulo Pimenta (PT-RS), enviou um ofício à ONU denunciando violações sofridas pelo ex-presidente Lula na Lava Jato.

    O documento foi entregue ao representante das Nações Unidas no Brasil, Niky Fabiancic, "para que apure violações de Direitos Humanos do ex-presidente Lula no âmbito das investigações realizadas na Operação Lava-Jato".

    A iniciativa se deu depois que a comissão recebeu dos advogados de Lula a cópia de uma representação relativa a erros factuais e conceituais de informações prestadas pelo Itamaraty, que "reforça a percepção de que o Estado brasileiro age de forma conivente com as violações de direitos humanos em análise" .

    Segundo Padre João, após a análise do documento, foi possível verificar a violação de direitos humanos do ex-presidente, com a anuência do próprio Ministério das Relações Exteriores, que encaminhou à ONU contestação às manifestações dos advogados.

    O texto da pasta que até ontem era comandada por José Serra apontou que a condução coercitiva de Lula está prevista no código penal francês, mas não indica em que trecho do código penal brasileiro, além de ter omitido a lei brasileira que impõe sigilo ao material proveniente de interceptação telefônica.

    LULA PEDE INDENIZAÇÃO DE R$ 1 MI À EDITORA TRÊS, DA REVISTA ISTOÉ

    LULA ISTOE

    - A defesa do ex-presidente Lula propôs ação de reparação por danos morais contra a Editora Três, Sérgio Pardellas, Germano Oliveira e Davincci Lourenço de Almeida em decorrência da reportagem "Levei mala de dinheiro para Lula".

    Os advogados pedem a condenação solidária dos réus ao pagamento de indenização no valor de R$ 1 milhão. Eles afirmam que o texto é "mentiroso e sensacionalista", além de haver uma "infame e leviana acusação sobre uma 'mala de dinheiro' recebida por Lula em troca de suposta ajuda para a construtora Camargo Corrêa".

    Nota dos advogados do Presidente Lula:

    Na condição de advogados do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, propusemos hoje (23/02/2017) ação de reparação por danos morais contra a Editora Três Ltda. (em recuperação judicial), Sérgio Pardellas, Germano Oliveira e Davincci Lourenço de Almeida em decorrência da reportagem "Levei mala de dinheiro para Lula", texto mentiroso e sensacionalista publicado na IstoÉ (edição nº 2462 de 22/2/2017). A ação pede a condenação solidária dos réus ao pagamento de indenização no valor de R$ 1 milhão.

    Os demandados se acumpliciaram para produzir essa infame e leviana acusação sobre uma "mala de dinheiro” recebida por Lula em troca de suposta ajuda para a construtora Camargo Correia “fechar” um contrato com a Petrobras. Tal fato jamais ocorreu. O mais grave é que a reportagem fiou-se na fantasiosa versão de Davincci Lourenço de Almeida, pessoa cujo histórico de vida contempla outros atentados contra a honra alheia.

    Cabe registrar que, no período da acusação formulada pelos demandados, Lula não exercia qualquer cargo público e passava por um intenso tratamento de saúde, buscando a cura de um câncer.

    IstoÉ foge à responsabilidade de uma imprensa séria, preocupada em apurar a verdade dos fatos. Mais do que isso, afronta os direitos à personalidade que são assegurados a Lula pela Constituição Federal.​

    Cristiano Zanin Martins & Roberto Teixeira

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper