Enquanto isso... seus servidores levam calote até no 13º salário
     Prefeitura gastará aproximadamente R$ 150 mil, somente com cachê de artista nacional


    Site Itacarambi
    A prefeitura de Itacarambi iniciou os preparativos para a comemoração do aniversário da cidade que acontece entre os dias 02 de Março. Sem obras para serem inauguradas nesse primeiro ano de governo, a não ser umas pinceladas em meios fios e “guard rails” dos jardins da cidade e com bastante divulgação por parte da Comunicação Oficial da Prefeitura, o evento será marcado por shows artísticos regionais e a festa contará ainda com a participação de Solange Almeida que cantou com bandas como Banda G, Cavaleiros do Forró, Caviar com Rapadura, e liderou o grupo Aviões do Forró junto com Xand por 14 anos e meio. Solange iniciou sua carreira solo em Março de 2017 e que hoje, ao parece, tem um cachê altíssimo.

    Cachês de artista nacional
    No último dia 08, a prefeitura publicou no Quadro de Avisos parte dos valores que serão gastos com o aniversário da cidade, entre eles, o cachê da Cantora Solange Almeida que se apresentará nos festejos de comemoração do aniversário da cidade.

    Em tempos de crise repercute muito mal o pagamento de um valor elevado, ainda que seja uma atração nacional, ainda mais quando é anunciado a cada momento a crise financeira que vive a maioria dos municípios não muito diferente com a nossa cidade. Assim, percebe-se uma clara e divisão de opinões nas redes sociais com relação a contratação de artistas com cachês tão altos para um município com sérios problemas como o nosso e por outro uma parcela de pessoas que enaltecem tal contratação como um grande gol marcado pela atua administração.

    Sem 13º alguns servidores recorrem a Justiça

    A via judicial está sendo a maneira que alguns servidores, dentre eles os docentes do município, encontraram para tentar receber o 13º salário, cujo prazo final para depósito foi 20 de dezembro passado. A princípio a Administração Transparência e Trabalho alegou não possuir os recursos necessários para pagar o 13º salário e que necessitava para quitar com a obrigação de aprovação de crédito suplementar capaz de garantir o pagamento do décimo terceiro salário e de outras. Aprovado o Crédito Suplementar pela Câmara garantiu o pagamento do 13º. Salário a uma parcela de servidores e outra ficou excluída com base em um “Parecer” elaborado pelo Jurídico da prefeitura e que tem por base uma Ação que tramita no Supremo Tribunal Federal que trata da obrigação dos entes públicos com relação a verbas rescisórias, claro não se tratando nessas verbas de 13º. Salário. Se essa moda pega com a crise estabelecida nas finanças públicas muitos governos ficarão sem quitar o 13º. Salários de Servidores, ainda que contratados, ironiza uma pessoa da área. Os servidores solicitaram da Câmara uma manifestação sobre tal situação tendo em vistas a aprovação de um crédito suplementar e tal manifestação foi assinada no plenário da Câmara por vereadores de situação e oposição, o que não surtiu o efeito esperado pelos vereadores e por servidores.

     De 12 a 14 de janeiro, Alto Belo se transforma outra vez na capital da música brasileira de raiz

     * Por Manoel Freitas

    A Folia de Reis mais respeitada de Minas Gerais chega a sua 36ª edição. Na verdade, Patrimônio Imaterial de Bocaiúva, o festejo considerado a última fronteira do Brasil com “S”, além de celebrar o que há de mais genuíno em nossa música, mostra ao mundo porque Alto Belo é uma autêntica escola de viola, pátria de luthiers consagrados internacionalmente, como o saudoso Sinval da Gameleira e o notável João-de-Bichinho.

    Pela primeira vez organizada pela Prefeitura de Bocaiúva, além de reunir artistas consagrados, a festa - idealizada pelo músico e compositor Téo Azevedo, ganhador do Grammy Latino “Melhor Álbum de Música Brasileira de Raiz” - chama atenção por suas peculiaridades. Um grande palco de cultura popular, com as tradicionais corridas de galinha, cachorro, porco, carrinho de mão, jegue e cavalo de pau, não deixando dúvidas de que “é no sertão que vive a alma brasileira”.

    Alto Belo, Bocaiúva, Vale do Jequitinhonha e Norte de Minas Gerais, Brasil.

    Fotos Manoel Freitas

    * Jornalista

     - Recapeamento mal feito na BR-251 transforma viagens de férias em pesadelo - 

     Obra de R$40 milhões, o recapeamento da BR-251 no trecho entre Montes Claros e o trevo para Grão Mogol está sendo alvo de inúmeras críticas, pois, com poucos meses de implantado, o novo asfalto já apresenta muitos buracos, trazendo desconforto e perigo de acidentes. Em alguns trechos, o estado da pista está até pior do que antes da reforma.

      Por Viente Alberto - Jornal Gazeta

    E, neste período de férias, o risco aumenta consideravelmente, pois a rodovia é usada por milhares de turistas, principalmente de São Paulo, que se dirigem às praias do litoral nordestino, em especial da Bahia. Sem conhecer direito a pista, acabam sendo vítimas dos buracos, resultando em pneus estourados, rodas danificadas ou até mesmo acidentes. Está sendo comum, no trecho entre Montes Claros e Francisco Sá, presenciar carros parados às margens da BR, com famílias inteiras expostas às intempéries, aguardando socorro. O policial rodoviário federal Leonardo Carvalho informa que, no período natalino e de final de ano, não houve aumento de acidentes, porém, notou número acentuado de avarias causadas pelas irregularidades na pista.

    O borracheiro Hamilton Souza, que tem sua borracharia na entrada de Francisco Sá, também diz ter constatado aumento de estragos em pneus e rodas.

    As obras de recapeamento já ficaram prontas, no trecho Francisco Sá/trevo de Grão Mogol, onde o asfalto estava em melhores condições. Já o trecho Montes Claros/Francisco Sá ainda está pela metade e é onde o serviço apresenta mais problemas.

    Questionado, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), órgão fiscalizador da obra, respondeu no dia 21/12, por meio da Assessoria de Comunicação, que “equipes técnicas da supervisora e da gerenciadora de obras foram acionadas e os reparos no local já foram iniciados. Equipes também da sede do DNIT/MG em Belo Horizonte estão no local em visita técnica para avaliar a situação”. Indagada novamente nesta semana sobre o resultado da vistoria, a Assessoria informou que “existe uma reunião marcada para a próxima semana, para tratar desse assunto”. (Colaborador)

     

    Comentário do jornalista Felipe Gabrich

    Enquanto isso, no mundo encantado do faz de conta da República Engana-me que eu Gosto (LXXXII)

    Deu na Gazeta Norte Mineira:
    Recapeamento mal feito na BR-251 transforma viagens de férias em pesadelo

    “Uma obra de R$40 milhões, o recapeamento da BR-251 no trecho entre Montes Claros e o trevo para Grão Mogol está sendo alvo de inúmeras críticas, pois, com poucos meses de implantado, o novo asfalto já apresenta muitos buracos, trazendo desconforto e perigo de acidentes. Em alguns trechos, o estado da pista está até pior do que antes da reforma.”

    “As lideranças políticas do Norte de Minas são assim: primeiro, engambelam a opinião pública com um movimento visando a duplicação da Br-251, apelidada pelo povo de “rodovia da morte”. Depois, com a maior cara de pau do mundo dizem à opinião pública que o Ministério dos Transportes não tem dinheiro para a duplicação, mas que vai beneficiar a região com o recapeamento da rodovia. E o serviço mal feito não diminui o perigo e nem reduz os acidentes fatais.” O comentário foi feito aos seus botões pelo filósofo do sertão-2018 João Conta Outra, simples operário da construção de estradas, ao ser informado da nova grita popular contra as obras porcas (que me perdoem os porcos) feitas no trecho Montes Claros-Grão Mogol e a ocorrência de mais acidentes com vítimas.

    E concluiu dirigindo à lá Roberto Rei Carlos: “Se você pretende saber quem eu sou, eu posso lhe dizer; entre no meu carro e na estrada de Santos você vai me conhecer”.

     

     O Estado aumentou em R$1,350 milhão, por mês, o teto destinado ao atendimento hospitalar em Montes Claros, conforme a Deliberação 2.656, de 27 de dezembro de 2017, e publicada no dia 29 passado. O ato, assinado pelo secretário estadual de Saúde, Sávio Souza Cruz, autoriza o ressarcimento da produção hospitalar de média e alta complexidade, apurada no Sistema de Informação Hospitalar Descentralizado e superior ao teto financeiro programado na PPI de Montes Claros, para reforço do custeio das ações e serviços de saúde, ofertados na rede hospitalar SUS do município de Montes Claros. Com isso, o Estado cumpre seu compromisso assinado com o prefeito Humberto Souto, que exigiu a adoção dessa medida para reassumir a gestão hospitalar.

    Desde o mês de julho de 2015 que o Estado decretou intervenção na gestão hospitalar de Montes Claros, depois que o então prefeito Ruy Muniz se recusou a cumprir a determinação do Ministério Publico e da Comissão Interbipartite de Minas Gerais de pagar aos hospitais Aroldo Tourinho, Dílson Godinho e Santa Casa os recursos liberados pelo Ministério da Saúde em dezembro de 2012. O pagamento seria para socorrer os referidos hospitais. No mês de abril de 2015, o então prefeito Ruy Muniz teve a sua prisão decretada por causa dessa postura. Ele perdeu o mandato por determinação do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

    No ato publicado no dia Diário Oficial do dia 29 de dezembro, o secretário estadual de Saúde, Savio Souza Cruz, explica que os R$1,350 milhão são para ressarcimento do limite mensal a ser repassado do Fundo Estadual de Saúde ao Fundo Municipal de Saúde, após a devida apuração, considerando a diferença entre a produção hospitalar de média e alta complexidade, aprovada no Sistema de Informação Hospitalar Descentralizado e o teto financeiro programado na PPI de Montes Claros para custeio dessa produção. Caso o extrapolamento apurado ultrapassar o limite mensal previsto, a produção excedente será objeto de análise nas regras vigentes de ressarcimento da Câmara de Compensação. Para a prestação de contas dos recursos repassados, o município de Montes Claros deverá observar as normas estabelecidas pela Secretaria de Estado de Saúde.

    Via Girleno Alencar - Jornal Gazeta

     Liderando as intenções de votos dos mineiros para uma vaga no Senado Federal, a presidente deposta Dilma Rousseff não descartou se candidatar a senadora por Minas Gerais, numa disputa direta com o senador Aécio Neves, principal articulador do golpe parlamentar de 2016, e que se tornou um cadáver político em seu próprio partido.

    Em entrevista à TV 247, Dilma falou que ainda está avaliando que caminho seguirá nas eleições de 2018, mas adiantou que "fará política". "É bom dizer o seguinte: eu fiz política a minha vida inteira. Comecei a fazer política no Colégio Estadual de Minas Gerais em 1964", afirmou Dilma. "Naquela época, como agora, eu fiz política, e não tinha mandato. Eu posso continuar fazendo política sem mandato, o que eu estou avaliando é a conveniência de participar, como senadora ou de que forma", afirmou.

    Levantamento do instituto Paraná Pesquisas mostra que a presidente deposta Dilma Rousseff lidera a preferência da maioria dos eleitores de Minas Gerais para uma candidatura ao Senado. Na modalidade estimulada, Dilma aparece com 16,9% de intenções de voto entre os mineiros. Senador Aécio Neves aparece em quarto, com 13,7% .

    Via Brasil 247

    © 2015 Your Company. All Rights Reserved. Designed By JoomShaper