Estado ignora a pobreza do  Norte de Minas e deixa a região fora do programa Leite Novo

O Norte de Minas estará fora do Programa “Leite Novo”, lançado pelo Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas (Idene) em substituição ao Leite pela Vida, que tinha sido criado em 2003 no Norte de Minas e depois ampliado para toda área mineira da Sudene. O Idene informou que esse programa atenderá as famílias que vivem em vulnerabilidade social em 134 municípios do Vale do Jequitinhonha e Mucuri, sendo que 10 deles atuarão como piloto. Serão aplicados os recursos estaduais e federal de R$ 16.575.932,82 em 12 meses. A alegação para retomada do programa é o avanço da pandemia da Covid-19 e a necessidade de ações de apoio à população mais carente. O programa poderá ser ampliado para o Norte de Minas numa etapa posterior.

No ano de 2003 o Idene criou o Programa Leita pela Vida, que atendeu ate 150 familias até o ano de 2014. Depois sofreu interrupções e funcionou até 2019. O novo programa tem a previsão de que sejam adquiridos e doados 6,125 milhões de litros de leite para o reforço alimentar de 10 mil crianças nas escolas e 24,5 mil famílias atendidas nos Centros de Referências de Assistência Social (Cras). A compra do produto vai beneficiar cerca de mil agricultores familiares em um ano. O Edital de Credenciamento 001/2021 está aberto até 9/4 para que cooperativas e associações interessadas se inscrevam e apresentem a documentação exigida.

O antigo Programa Leite pela Vida foi interrompido em 2019, para avaliação da melhor aplicabilidade de recursos federais e estaduais investidos. Com as mudanças propostas na forma de execução, o Programa Leite Novo pretende ser um importante aliado no desenvolvimento econômico e social das regiões. A expectativa é mitigar os danos causados pela pandemia aos agricultores familiares, por meio da compra do leite in natura e da distribuição nos equipamentos públicos de alimentação e nutrição para atender à população mais vulnerável. “Sabemos das dificuldades que muitas famílias estão passando, por isso o Idene retoma o programa do leite após revisão completa daquele que existia”, afirma o diretor-geral do instituto, Nilson Borges.

O Idene abrange 258 municípios, enquanto a Diretoria Regional dos Vales compreende 134 dessas cidades. Grande parte delas apresenta Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo de 0,6, valor considerado baixo. Esse indicativo foi o que orientou a elaboração do edital. Após a consolidação do Leite Novo, há possibilidade de que o programa seja ampliado e se estenda aos demais municípios da área de abrangência do Idene, desde que haja disponibilização de mais recursos, conforme o diretor técnico do instituto, Onésimo Diniz.

Via Jornal Gazeta

Deixe um comentário