Toma lá dá cá: Bolsonaro acena ao centrão com mais quatro ministérios

De volta, grupo promete não deixar o governo até 2 de abril, data de desincompatibilização de quem disputará as urnas de outubro

De acordo com a coluna de Lauro Jardim, ainda não há definição de quais ministérios seriam. O certo mesmo é que dois iriam para o Senado e outros dois para a Câmara.

O colunista informa ainda. Um dos líderes afirmou que o grupo não deixa o governo tão cedo: “Antes de 2 de abril, ninguém sai”.

A data é o prazo final para a desincompatibilização de quem disputará as urnas de outubro.

O grupo, por sua vez, está empenhado em apaziguar a crise política. Os ministros do governo próximos do centrão tentam fazer acontecer o encontro entre os Três Poderes que foi cancelado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, em meio aos ataques do chefe do Executivo ao Judiciário.

Ciro Nogueira (Casa Civil), Fábio Faria (Comunicações) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo) estão nas articulações para reunir Fux e Bolsonaro. Há expectativas de que o encontro ocorra na próxima semana.

Nesta quarta, Nogueira foi pessoalmente se encontrar com Fux. O ministro teria repetido a tese de que funcionaria como “amortecedor” de Bolsonaro. Os ministros posaram para uma foto segurando a Constituição.

“No encontro com o Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Luiz Fux, consenso sobre o que nos une a todos: Executivo, Legislativo e Judiciário. O Brasil, o nosso futuro, a harmonia entre os Poderes, sintetizados no símbolo que é a nossa Constituição”, disse Nogueira no Twitter.

Deixe um comentário