Cerco ao ódio – Alexandre de Moraes determina prisão e extradição de Allan dos Santos

O blogueiro e amigo dos Bolsonaro, Allan dos Santos: morando nos Estados Unidos, investigado no Brasil e com prisão preventiva decretada pelo ministro Alexandre de Moraes

Morando nos EUA e com visto vencido, blogueiro bolsonarista é investigado em dois inquéritos no STF, sobre “fake news” e atuação de milícias digitais contra a democracia

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou, nesta quinta-feira (21), a prisão de Allan dos Santos, blogueiro bolsonarista e fundador do canal Terça Livre. Allan, que foi para os Estados Unidos em junho de 2020 e está com o visto de turista vencido desde fevereiro, será incluído na chamada lista da Difusão Vermelha, da Interpol. A embaixada dos Estados Unidos também foi comunicada.

Moraes determinou ainda que o Ministério da Justiça inicie os trâmites para a extradição do blogueiro para o Brasil. A informação é do portal G1.

A decisão do ministro acolhe pedido da Polícia Federal, mas recebeu manifestação contrária da Procuradoria-Geral da República. Os frequentes ataques de Allan dos Santos e de milícias digitais contra a democracia e os ministros do STF são o motivo de um dos dois inquéritos em que o blogueiro é alvo na Corte. O segundo é sobre a produção e divulgação de fake news.

“(…) Como se vê, a utilização de seu canal nas redes sociais, usado como verdadeiro escudo protetivo para a prática de atividades ilícitas, aliado ao fato de ter se ausentado do território nacional durante as investigações, passando a perpetrar suas condutas criminosas dos Estados Unidos da América, tem conferido a Allan Lopes dos Santos uma verdadeira cláusula de indenidade penal para a manutenção do cometimento dos crimes já indicados pela Polícia Federal, não demonstrando o investigado qualquer restrição em propagar os seus discursos criminosos”, diz trecho da decisão de Moraes.
Antidemocrata

O magistrado também escreveu sobre o blogueiro que “o poder de alcance de suas manifestações tem contribuído, de forma inequívoca, para a animosidade entre os Poderes da República e para o ambiente de polarização política que se verifica no Brasil, com verdadeiro incentivo para que as pessoas pratiquem crimes.”

Após a divulgação da notícia, o relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), celebrou a ordem de prisão. “Apoiamos a prisão e a extradição do Allan dos Santos determinada pelo ministro Alexandre de Moraes. É a primeira prisão de um dos indiciados da CPI. Fake news, como sustentamos no relatório, também matou muitos brasileiros”, escreveu Renan nas redes sociais.

Em seu relatório, o senador recomenda o indiciamento do amigo da família Bolsonaro por incorrer no artigo 286 do Código Penal: “Incitar, publicamente, a prática de crime. Pena: detenção, de três a seis meses, ou multa”.

No último domingo (17), o blogueiro voltou a atacar o ministro do STF, desta vez em seu canal no Telegram. “O Alexandre de Moraes quer dizer que ‘indícios’ apontam que, por ter reunido deputados de direita na minha casa, sem nunca receber um centavo por isso, eu seria o responsável pela desestabilização da República, com um site de notícias? Lava sua boca para falar de mim, seu psicopata.”

Deixe um comentário