Número de inscritos no Enem cai 41% e afasta pretos e pobres da prova

Um levantamento feito pelo Semesp mostra que o número de inscritos com isenção da taxa por declaração de carência caiu 77% em relação à última prova. Além disso, apenas 11,7% dos inscritos para o Enem 2021 são pretos
Em meio à crise ocasionada pela debandada de servidores e suspeitas de vazamento de provas do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), estudantes de todo o Brasil realizam, neste domingo, 21, a primeira parte do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021.

No entanto, nesta edição, apenas cerca de 3,1 milhões de estudantes se inscreveram. É o menor número de candidatos desde 2005. A baixa adesão se reflete nos dados da seguinte forma: são principalmente os pobres que ficaram de fora do exame. Um levantamento feito pelo Semesp (Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior de São Paulo) mostra que o número de inscritos com isenção da taxa por declaração de carência caiu 77% em relação à última prova.

De acordo com a pesquisa, além disso, apenas 11,7% dos inscritos para o Enem 2021 são pretos. É a menor proporção desde 2009, quando eles representaram 6,3% dos inscritos.
É um resultado da crise econômica e social do país, com o desemprego e o empobrecimento das famílias durante a pandemia da Covid-19, que piorou a situação dos jovens de baixa renda. Muitos tiveram de ir trabalhar e a sobrevivência fala mais alto. “A morte de parentes próximos pela covid-19 também forçou jovens a buscarem emprego, antes de pensarem em continuar os estudos”, lembra o jornal Estado de S.Paulo.

Via 247

Deixe um comentário