Quem é quem numa guerra nuclear? Confira as nações que possuem bombas atômicas

É BOM NEM PENSAR – Quantas são as ogivas nucleares existentes no planeta, onde estão localizadas e quem são seus donos? Veja as principais informações sobre o assunto que voltou a assustar o mundo após tantas décadas United Nations News (ONU).

Por Henrique Rodrigues

As tensões e medos desencadeados pela invasão da Rússia à Ucrânia, que completa uma semana nesta quarta-feira (2), trouxeram de volta um pesadelo que se manteve sumido nos últimos 30 anos, desde o final da Guerra Fria, em 1991: a eclosão de uma guerra nuclear que ponha fim à vida na Terra.

Os ataques aéreos e a incursão por solo das tropas russas vieram acompanhados de uma escalada verbal por parte dos EUA e de seus aliados ocidentais, que se assustaram com as respostas de Vladimir Putin, que diretamente do Kremlin disparou que “quem tentar interferir, ou ainda mais, criar ameaças para o nosso país e nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata e levará a consequências como nunca antes experimentado na história”, referindo-se naturalmente a uma reação em termos atômicos.

Dias depois, o próprio Putin anunciou que colocou suas “forças de dissuasão”, um eufemismo para se referir às forças militares que operam o arsenal nuclear do país, em estado de alerta, prontas para uma guerra. E essa não foi a última ameaça, já que seu chanceler, Sergey Lavrov, durante uma entrevista à rede de tv árabe Al Jazeera nesta quarta-feira (2), disse que “Biden tem experiência e sabe que não há alternativa às sanções, a não ser a guerra mundial… Uma guerra nuclear devastadora”.

Diante desse cenário que parecia definitivamente enterrado há décadas, muitos podem estar se perguntando: Qual é de fato o arsenal nuclear existente no mundo atualmente? Quem detém essas armas? Elas são suficientes para acabar com a vida na Terra?

Para a última dúvida, a resposta é sim. No mundo, neste momento, há 12.843 ogivas nucleares aptas a explodirem e espalharem radiação pela atmosfera, o suficiente para provocar um apocalipse.

Já em relação aos detentores dessas armas que podem causar um verdadeiro juízo final na Terra, a distribuição, segundo a ICAN (Campanha Internacional para a Abolição de Armas Nucleares), dá-se da seguinte forma:

Rússia: 5.977 ogivas nucleares, que podem ser disparadas de silos fixos e móveis, bases terrestres, aviões bombardeiros e submarinos.

EUA: 5.550 ogivas nucleares, que estão disponíveis para disparo pelos mesmos métodos utilizados pelos russos.

China: 350 ogivas nucleares, a serem lançadas de silos fixos e móveis, bases terrestres e aviões bombardeiros.

França: 290 ogivas nucleares, disponíveis em bases terrestres, aviões bombardeiros e submarinos, presencialmente projetadas para estes últimos.

Reino Unido: 225 ogivas nucleares que podem ser lançadas pelos mesmos métodos usados pelos franceses.

Paquistão: 165 ogivas nucleares, disponíveis em silos fixo e móveis e em bases terrestres.

Índia: 156 ogivas nucleares prontas para serem lançadas pelos mesmos sistemas de seu vizinho Paquistão.

Israel: 90 ogivas nucleares, mas não é possível saber os modelos dessas armas porque o país não assume oficialmente a posse delas.

Coreia do Norte: 50 ogivas nucleares disponíveis para disparos a partir de bases terrestres e silos fixos e móveis.

Embora Itália, Alemanha, Bélgica, Holanda e Turquia não possuam armas nucleares, seus territórios abrigam uma fração dos mísseis atômicos dos EUA, que somados representam 100 ogivas, posicionadas de maneira relativamente próxima da Rússia.

Via Revista Fórum

Deixe um comentário