Pavimentação aos distritos de Tejuco e Pandeiros, em Januária, começa em julho

No segundo dia de visita ao Norte de Minas, o governador Romeu Zema (Novo) esteve em Januária nesta quinta-feira (9), onde assinou autorização para início das obras de pavimentação da MG-479. As intervenções serão feitas no trecho que liga a sede urbana de Januária aos distritos de Tejuco e Pandeiros.

A assinatura do governador dá o aval para o Departamento de Estrada e Rodagem (DER) e a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) iniciarem os trabalhos.

A obra, que faz parte do Programa Provias, inclui o melhoramento e pavimentação de 46,6 quilômetros da rodovia. Serão investidos R$ 79 milhões e a previsão de início é em julho deste ano.

A rodovia MG-479 é uma importante estrada que liga o extremo Norte do Estado a cidades da região Centro-Oeste do Brasil. A pavimentação da estrada é uma demanda de mais de 60 anos e vai impulsionar a economia local, aumentar a segurança dos usuários e diminuir o tempo de deslocamento das viagens.

SONHO ANTIGO

“A pavimentação da MG-479 é um sonho antigo da população. É uma estrada que interligará Januária a distritos populosos, melhorando a vida dos moradores e levando o desenvolvimento”, afirmou o governador.

Ele lembrou que mais de R$ 500 milhões estão sendo investidos na recuperação da malha rodoviária do Norte de Minas por meio do Provias. “A MG-401, que atende o Projeto Jaíba, também será beneficiada. Já a maior intervenção é a ponte sobre o rio São Francisco, que interligará o município de São Francisco a Pintópolis”, disse.

PROVIAS

Na região Norte do Estado estão sendo realizadas dez obras do programa Provias. Ao todo, serão investidos R$ 385 milhões em pavimentação, recuperação funcional de vias e construção de pontes.

As ações do Provias se dividem em dois eixos: recuperação funcional, com objetivo de promover melhorias no pavimento das estradas em pior estado de conservação; e pavimentação e construção de pontes, com foco em viabilizar novas ligações entre importantes regiões de Minas Gerais.

As intervenções visam reverter a situação precária em que se encontram muitas rodovias mineiras devido ao baixo investimento realizado por governos anteriores na manutenção das estradas.

Saneamento ampliado

Além da pavimentação da MG-479, o governador Romeu Zema anunciou as obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário de Januária. Com investimentos de R$ 24 milhões, as intervenções irão aumentar de 30% para 70% a parcela da população atendida com coleta e tratamento de esgoto.

Essa é uma demanda histórica e reivindicada há anos pelos moradores. Desde 2019 até o momento foram destinados um total de R$ 37,8 milhões, um recorde de investimentos em saneamento na cidade. Outros R$ 50 milhões devem ser investidos entre 2024 e 2026.

Mais de 18 mil pessoas que residem na parte alta do município serão beneficiadas com a implantação de 75 mil metros de redes coletoras de esgoto, construção de duas estações elevatórias e instalação de 6.303 ligações domiciliares.

A previsão é a de que as obras sejam concluídas em 18 meses. Os bairros contemplados são Aeroporto, Alameda, Alto dos Poções, Brasilina, Caic, Eldorado, Jardim Daniel, Jatobá, Jussara, Mangueiras, Terceiro Milênio, São João e São Miguel.

IMPACTO

Zema afirmou que a visita a Januária tem um grande significado para os moradores. “É uma satisfação anunciar que a Copasa levará água tratada e fará a coleta e tratamento do esgoto para uma parte importante da cidade. Até 2026, o município receberá mais R$ 50 milhões para ampliar as obras de saneamento. Isso significa que o cidadão passará a ter mais qualidade de vida”.

A gerente regional de Januária, Melissa Lima, ressaltou a importância da obra para o município, que proporcionará benefícios sociais e econômicos voltados à melhoria das condições de saúde e qualidade de vida.

“O tratamento de esgoto, entre outras vantagens, possibilita que a cidade receba o ICMS Ecológico, um meio de incentivo aos municípios para a criação de mais áreas de preservação ambiental, além de melhorar a qualidade dos espaços já existentes”, explicou.

Outro benefício é a erradicação de doenças de veiculação hídrica, controle da proliferação de vetores, melhoria do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e mudanças positivas nos aspectos urbanísticos, com a valorização imobiliária e o crescimento socioeconômico da cidade e da região.

*Com Agência Minas

Deixe um comentário