“Se Lula fosse presidente, o Auxílio Emergencial seria R$ 1 mil”, diz ministro da comunicação

Ministro tenta criticar o ex-presidente, mas acaba por revelar que a atual gestão federal atua com e para o mercado

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, declarou durante uma entrevista ao Poder 360 que, se Lula (PT) fosse o atual presidente da República, o Auxílio Emergencial pago em um eventual governo petista seria no valor de R$ 1 mil.

Fábio Faria tenta formular uma crítica ao petista e, ao mesmo tempo, defender o valor pago pelo governo Bolsonaro que, na primeira etapa da pandemia queria pagar o valor de R$ 400. Porém, a oposição se colocou contra o valor defendido pelo governo Bolsonaro e trabalhou para que fosse pago R$ 600

Ainda sobre o valor de R$ 400, o ministro das Comunicações revela que foi o mercado que sugeriu o valor para o presidente, que acatou a proposta.

“Eu acredito que se o Lula fosse o presidente, ele ia fazer R$ 1 mil reais. Não tenho dúvida. Quando foi o auxílio, muita gente defendeu R$ 600 e ele [Bolsonaro] que fixou em R$ 400, depois que ele ouviu o mercado, ‘não, presidente, R$ 400 é um número justo”.

O ato falho do ministro fortalece a tese de que o governo Bolsonaro atua de acordo e para o mercado

Deixe um comentário