Brasileiro tenta matar Cristina Kirchner na Argentina; Arma falhou

Vice-presidente chegava em sua residência, no elegante bairro da Recoleta, quando o homem de 35 anos, em meio à multidão, disparou uma pistola na sua frente, que emperrou. Guarda-costas o prenderam.
Um brasileiro de 35 anos, identificado como Fernando Andrés Sabag Montiel, tentou assassinar a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, na noite desta quinta-feira (1°), quando ela chegava com sua comitiva e escolta ao elegante bairro da Recoleta, na Zona Norte de Buenos Aires, onde mora. Há imagens, de diferentes ângulos, do atentado frustrado.
As gravações mostram Cristina se aproximando de uma multidão que a esperava em apoio, visto que a também ex-presidente vem sofrendo uma séria perseguição judicial no país vizinho, quando de repente um homem puxa uma pistola calibre 380 (anteriormente foi informado incorretamente ser uma .40) e ela se esquiva rapidamente, assustada.
Imediatamente seus guarda-costas se jogam em cima do agressor, ajudados pela militância que estava no local.
Ministério da Segurança Pública confirmou que o indivíduo que tentou matar Cristina é um brasileiro, que segue preso na carceragem de uma unidade da Polícia Federal Argentina, no bairro de Villa Lugano. Seu caso já está nas mãos da juíza federal l María Eugenia Capuchetti, que o interrogará nesta sexta-feira (2)
Ministério da Segurança Pública confirmou que o indivíduo que tentou matar Cristina é um brasileiro, que segue preso na carceragem de uma unidade da Polícia Federal Argentina, no bairro de Villa Lugano. Seu caso já está nas mãos da juíza federal l María Eugenia Capuchetti, que o interrogará nesta sexta-feira (2)

Montiel já tinha sido preso em 17 de março de 2021, depois de ser parado numa blitz policial. Ele afirmou que estava trabalhando como prestador de serviços para uma empresa de telefonia, mas não tinha consigo um crachá que comprovasse isso. Os policiais, então, revistaram seu carro e acharam um facão de 35 centímetros, o que fez com que os guardas o conduzissem a uma delegacia.

Um Termo Circunstancia foi registrado em decorrência do episódio, mas meses depois a causa foi arquivada pela promotoria.
Veja os vídeos:

 

 

Deixe um comentário