Entre 2018 e 2021, balança comercial entre Colômbia e Venezuela atingiu piores níveis dos últimos 20 anos

Os presidentes da Colômbia, Gustavo Petro, e da Venezuela, Nicolás Maduro, se reuniram nesta quinta-feira (16) na fronteira entre os dois países, nos estados de Norte de Santander e Táchira, para assinar um acordo comercial. Este foi o terceiro encontro entre os mandatários desde que Petro chegou à Presidência, em agosto de 2022, e decidiu retomar relações diplomáticas com o país vizinho.

Segundo comunicado, o acordo firmado visa a “abertura total da fronteira” e combater as travessias migratórias e comerciais irregulares que vinham acontecendo desde que as passagens foram fechadas.

“Para a fronteira colombo-venezuelana, os acordos alcançados significarão o encerramento da brecha social que havia se aprofundado em matéria de pobreza, desemprego, renda e fundamentalmente promoverão de forma acelerada a complementação produtiva, a criação de empregos e mais segurança social para os cidadãos”, disseram os presidentes em nota.

Petro e Maduro ainda celebraram um acordo prévio assinado por Caracas e Bogotá no início do mês que pretende estabelecer um marco jurídico para investimentos fronteiriços conjuntos e fortalecer a balança comercial entre os países.

Entre 2018 e 2019, o fluxo comercial entre os países registrou a pior queda dos últimos 20 anos e em 2020 as atividades alcançaram os níveis mais baixos das duas últimas décadas. A crise econômica venezuelana e o rompimento de relações induzido pelo ex-presidente de direita colombiano Iván Duque foram as principais causas da redução comercial entre Colômbia e Venezuela.

Agora, com relações normalizadas e novos acordos comerciais, os países pretendem estimular os negócios bilaterais. Historicamente um país importador de bens de consumo, a Venezuela espera encontrar no vizinho fontes para suprir sua demanda interna. Já a Colômbia busca vantagens no comércio do gás e da ureia venezuelana.

“Estamos em uma nova fase da construção das relações em todos os sentidos e nossas relações econômicas e comerciais, ainda que não tenham chegado no ponto que esperamos, vão crescendo em um bom ritmo e boa dinâmica”, afirmou Maduro durante a reunião.

Os presidentes ainda mencionaram a proposta de estabelecer uma Zona Econômica Especial na fronteira, que criasse facilidades alfandegárias e financeiras para atrair empresas de ambos os países.

“Temos que encher essas pontes de comércio, tirar as barreiras para esses comércios. Também temos que encher essas pontes de povo, para que possam passar e atravessar sem medo”, disse Petro.

BdF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 11 =