Empresas do transporte público “passam recibo” e processam vereador

Rodrigo Cadeirante recebeu a “visita” de oficial de Justiça em plena reunião da Câmara Municipal. Ele denuncia o péssimo serviço prestado pelas concessionárias

* Por Waldo Ferreira
As denúncias que faz a respeito das péssimas condições do serviço de transporte público prestado pelas empresas Princesa do Norte e Solaris Transportes, que operam a concessão do transporte público em Montes Claros, via consórcio Mocbus, renderam ao vereador Rodrigo Cadeirante um processo criminal.
Ele recebeu a intimação enquanto participava da reunião ordinária da Câmara Municipal, na terça-feira (16). As empresas alegam que o vereador cometeu “crime contra a honra” ao trazer à tona as omissões cometidas contra o usuário do serviço. Da tribuna Rodrigo Cadeirante reafirmou suas críticas ao consórcio.
“Se as empresas estão me processando é porque estou no caminho certo. Eu exerci e vou continuar exercendo um direito assegurado por meu mandato, que é o de defender a população, que está sendo castigada por essas empresas. A tribuna é minha trincheira e dela não vou deixar de atirar. Eles não vão me calar. Enquanto tem bambu, tem flecha”, reagiu com indignação.
Segundo o vereador, ser acusado por falar a verdade confirma a máxima de que no Brasil “o errado é que é o certo”. Cadeirante reforçou que não será intimidado pela atitude dos empresários.
“Não falei nem a metade ainda”, começou. Ele aproveitou para lembrar que em outras épocas já ocorreu de vereadores serem presenteados com carros zero quilômetros para silenciarem aos absurdos cometidos. E sustentou que tanto a população como os funcionários das concessionárias estão insatisfeitos com a operacionalização do serviço.
Rodrigo Cadeirante enfatizou uma situação que vem sendo reiteradamente denunciada pelos representantes dos trabalhadores, inclusive em audiências públicas realizadas recentemente. As irregularidades vão desde a falta de pagamento do 13º relativo ainda a 2021 até agressão aos direitos humanos.
Segundo ele, as mulheres motoristas ou cobradoras não têm ao menos um ponto com banheiro para utilizar, sendo obrigadas a se abrigarem atrás dos ônibus para fazer suas necessidades fisiológicas.
O vereador relembrou outros problemas, como a falta de ônibus, os atrasos constantes, os defeitos nos elevadores, comprometendo o acesso de cadeirantes; e o mau funcionamento do Transpecial – opção de transporte voltado para as pessoas com restrições de locomoção. Tudo isso, protestou, mesmo com o valor da tarifa tendo sido recentemente reajustado para R$ 4.
“Vou continuar denunciando os desmandos deles, porque fiz um contrato com a população: a parte do cidadão e da cidadã é confiar seu voto a mim e a minha é honrar meu mandato, defendendo seus interesses”, disse.
O próprio Rodrigo, que é cadeirante, já foi vítima dessas omissões, ao ser impedido de ter acesso ao serviço por falta de elevadores e de pessoal treinado. Ele moveu processo contra as concessionárias e ganhou, sendo indenizado.
A vereadora Iara Pimentel saiu em defesa do colega e lamentou a tentativa de cercear o direito que o parlamentar tem de denunciar o que está errado. “Se nós não pudermos falar, quem poderá”, questionou.

* Jornalista

Deixe um comentário

sky77 liveslot168 luck365 qqmacan kingceme agen338 maxwin138 mantap168 koko303 bosswin168 slot5000 dewagame vegas4d lemacau gen777 okeplay777 ligaplay88 idngg gem188 kaisar888 mild88 toto slot sbobet idn poker gas138 ajaib88 menang123 megahoki88 luxury333 kdslots777 gas138 vegasgg brobet77 jakartacash  vegas77 pokerseri warungtoto autowin88 judi online