Preso na semana passada nos Emirados Árabes, logo após a visita do presidente Lula ao país, o estuprador bolsonarista Thiago Brennand deve ser extraditado para o Brasil nos próximos dias. Segundo reportagem do jornal O Globo deste domingo (23), o clima entre as vítimas do empresário ricaço é de grande ansiedade. “Prisão de Brennand traz alívio, mas também aflição para as vítimas; ‘desabei em lágrimas’, conta uma das mulheres”, estampa o título da matéria.

“Enquanto o governo brasileiro aguarda a extradição de Thiago Brennand, as mulheres agredidas por ele vivem a expectativa desse retorno com uma mistura de sentimentos. Ele é alvo de cinco mandados de prisão preventiva por crimes como estupro e sequestro. A imagem dele preso no Brasil seria, para as mulheres que o denunciaram, uma vitória em meio à luta por justiça em um processo com episódios de medo e sofrimento”, descreve a reportagem.

Lula comemora a prisão do criminoso

A modelo Alliny Helena Gomes denunciou o assediador no ano passado. Seu caso foi o primeiro a ganhar visibilidade, com a divulgação do vídeo em que o empresário discute com ela numa academia, na capital paulista. Ele agrediu a jovem com empurrões, cuspidas no rosto e puxões no cabelo, após ela recusar um convite para sair. Na sequência dessa denúncia, outras mulheres relataram que foram vítimas de maus tratos e estupros e novos processos foram abertos na Justiça. Temendo a prisão, o covarde fugiu do país em setembro do ano passado com destino a Dubai.

Na quarta-feira passada (19), ao comentar o caso e sua recente visita aos Emirados Árabes, o presidente Lula festejou a prisão do estuprador. “A Polícia Federal está indo para prendê-lo aqui no Brasil. Se eu soubesse, teria trazido ele no murro, mas achei que ele é mais forte que eu. É melhor a PF cuidar disso”. Em entrevista à Folha, Lula garantiu que não tratou da extradição com o sheik Mohamed bin Zayed, mas aprovou a medida. “Não é humanamente aceitável que um brutamonte desse seja agressor de mulheres. Eu acho que ele tem que pagar”.

Mídia esconde que Brennand é bolsonarista

Como relembra o jornal, o ricaço “ficou conhecido após agredir, em agosto de 2022, a modelo Alliny Helena Gomes. Logo depois, a Justiça decretou nova prisão contra Brennand, sob a acusação de tatuar à força e manter em cárcere privado uma mulher em Porto Feliz (SP). No dia 7 de novembro, ele teve a terceira prisão preventiva decretada pela Justiça por suspeita de estupro que teria ocorrido também em Porto Feliz. Em 6 de março, teve a prisão decretada após a denúncia da miss e estudante de medicina Stefanie Cohen. Ela afirma que foi estuprada em 2021”.

A Folha e O Globo só evitam lembrar que o empresário estuprador é um bolsonarista convicto, um típico “cidadão do bem” do fascismo nativo. Na reta final das eleições de outubro passado, ele gravou um vídeo declarando apoio a Jair Bolsonaro direto de Dubai. “Se Deus quiser, vamos vencer no segundo turno”. Em outra postagem nas redes digitais, o cínico deu sua ficha: “Sou branco, conservador, armamentista. Pela família, pela propriedade privada, pela disciplina, pelo respeito ao próximo, pela humildade, por colocar o homem no seu lugar e a mulher também”.

Thiago Brennand inclusive se jactava de ter muita influência no covil de Jair Bolsonaro. Segundo longa matéria do site TAB, ele “reivindicava, com certo orgulho, a indicação do sanfoneiro Gilson Machado ao Ministério do Turismo, em 2020. Num áudio vazado no WhatsApp, porém, Thiago se refere ao ex-ministro como ‘traidor’ e ‘cuzão’, por não ter atendido as suas ligações. ‘Acreditei e acredito no Bolsonaro. Tenho críticas? Claro, sempre terei. Não sou bajulador, como algumas pessoas do governo. Algumas até que eu coloquei lá, como esse canalha desse Gilson’, disse, num vídeo gravado nos Emirados Árabes em 8 de outubro, publicado no Facebook e depois apagado”.

Fonte: Blog do Miro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 11 =