Enquanto alguns golpistas insistem em bloquear rodovias, transição de governo avança e o próprio Bolsonaro já conversa com membros da equipe de Lula

O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB), escolhido por Lula (PT) para ser o coordenador da equipe de transição, se reuniu com o ainda presidente Jair Bolsonaro (PL) nesta quinta-feira (3) e o mandatário prometeu que vai colaborar para o processo de mudança de governo – reconhecendo, assim, sua derrota no pleito de 30 de outubro.

Alckmin participou, mais cedo, da primeira reunião oficial com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, para tratar da transição de governo, no Palácio do Planalto. Quando já deixava o local, o vice-presidente eleito foi chamado pelo chefe de gabinete de Bolsonaro para se reunir com o presidente.

Comparta este artículo

O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB), escolhido por Lula (PT) para ser o coordenador da equipe de transição, se reuniu com o ainda presidente Jair Bolsonaro (PL) nesta quinta-feira (3) e o mandatário prometeu que vai colaborar para o processo de mudança de governo – reconhecendo, assim, sua derrota no pleito de 30 de outubro.

Alckmin participou, mais cedo, da primeira reunião oficial com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, para tratar da transição de governo, no Palácio do Planalto. Quando já deixava o local, o vice-presidente eleito foi chamado pelo chefe de gabinete de Bolsonaro para se reunir com o presidente.

“Foi positivo. O presidente convidou, nós estávamos saindo já. Reiterou o que disse o ministro Ciro Nogueira e o general Ramos. Para que se tenha transição tranquila, da disposição do governo de prestar todas as informações, colaborações, pautadas pelo interesse publico”, disse Alckmin sobre o encontro com Bolsonaro.

O fato de o próprio Bolsonaro, sem interlocutores, ter reconhecido a derrota e dado início ao processo de transição, enfraquece ainda mais o movimento golpista de apoiadores do ainda presidente, que vêm bloqueando de forma criminosa rodovias pelo país por não aceitarem o resultado das eleições. As manifestações, no entanto, vem arrefecendo e, nesta quinta-feira (3), a maior parte delas já havia sido dispersada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + nove =