– Fernando Pimentel denuncia cerco do governo Temer a Minas Gerais –

​ Em entrevista publicada hoje pela Folha, o governador Fernando Pimentel acusa o governo Temer de promover um cerco ao Estado de Minas Gerais. “Não temos tido apoio do governo federal para nada. O Estado está numa situação de completo desequilíbrio orçamentário. O grande problema da maioria dos Estados e da União é a previdência pública. Sem ela, teríamos superávit de 7 bilhões de reais no ano passado. Com ela, temos um déficit de 9 bilhões. Tem que tirar dinheiro dos impostos para pagar a folha dos aposentados”, afirmou.

O problema não existiria se, nos governos anteriores, especialmente no PSDB, esse problema tivesse sido enfrentado, com a capitalização da Previdência. Mas isso não foi feito. E agora, segundo Pimentel, é preciso fazer uma reforma. Mas, sem habilidade, o governo federal não conseguiu conduzir o tema. “Não pode ser feito goela abaixo no Congresso. “O modelo tem que ser alterado, sem penalizar o aposentado. O modelo adotado no mundo é a capitalização da Previdência. E aqui não foi feito”.
Pimentel aponta as responsabilidades. Nos governos anteriores, havia recursos. Tanto que foi construído o elefante branco da Cidade Administrativa. “Aquilo poderia ter sido capitalizado num fundo para resolver o problema que caiu no nosso colo”, afirmou.

Pimentel qualifica o governo de “desastre”. E diz que a solução é a eleição para o governo federal de uma nome do campo democrático-popular, que fará o Brasil voltar a crescer. Pimentel não descarta uma aliança com Ciro Gomes, mas, mais adiante, quando a situação de Lula se definir. Líder nas pesquisas de intenção de voto, Pimentel é candidato à reeleição e não descarta aliança com o MDB no Estado, que tem perfil diferente do de Temer. É progressista e, em várias situações, esteve ao lado do PT.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 7 =