Luis Rubiales beijou a atacante Jenni Hermoso durante a cerimônia de premiação da Copa do Mundo feminina Noemi Llamas/Eurasia Sport Images/Getty Images

O Comitê Disciplinar da Fifa suspendeu provisoriamente Luis Rubiales, presidente da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), por ter dado um beijo forçado na atacante Jenni Hermoso durante a cerimônia de premiação da Copa do Mundo feminina.

Com a punição, o dirigente espanhol está proibido de participar de atividades relacionadas ao futebol, tanto em âmbito nacional quanto internacional, por 90 dias.

A entidade anunciou que vai preservar a jogadora. Dessa forma, Rubiales ou qualquer outro profissional da federação espanhola não devem tentar contatar Hermoso, nem de forma direta e nem por terceiros.

Pouco tempo depois, foi a vez da Federação Espanhola de Futebol (RFEF) se manifestar em relação à punição. Por meio de uma nota oficial, a entidade afirmou que Pedro Rocha, vice-presidente, assumirá de maneira interina.

Veja abaixo:

A RFEF recebeu notificação do Comitê Disciplinar da FIFA sobre a suspensão provisória do presidente Luis Rubiales, enquanto tramita o processo disciplinar.

De acordo com o disposto nos estatutos da RFEF, o vice-presidente adjunto, Pedro Rocha, assumirá interinamente a presidência durante este período.

Rubiales afirmou que se defenderá legalmente junto aos órgãos competentes, tem plena confiança nos órgãos da FIFA e reitera que está tendo a oportunidade de iniciar sua defesa para que a verdade prevaleça e sua total inocência seja comprovada.

Na última sexta-feira (25), o dirigente afirmou que não vai renunciar o cargo na federação uma vez que o beijo dado na atacante foi consentido. Tal declaração revoltou o mundo do futebol.

A atleta, por sua vez, desmentiu a informação em um longo desabafo nas redes sociais.

“Declaro que em nenhum momento aconteceu a conversa a que ele fez referência e que muito menos o beijo foi consentido. Da mesma forma, quero reiterar que o que aconteceu não foi do meu agrado”, iniciou ela.

“A situação me provocou um choque pelo contexto da celebração, e com o passar do tempo e ter as primeiras sensações, sinto a necessidade de denunciar isso, já que considero que nenhuma pessoa deve ser vítima deste tipo de comportamento não consentido. Me senti vulnerável e vítima de uma agressão, um ato impulsivo, machista, fora de lugar e sem nenhum tipo de consentimento da minha parte.”

No comunicado, a atacante da Espanha, pediu “tolerância zero com esses comportamentos”: “Em nenhum caso pode ser minha responsabilidade assumir as consequências de transmitir algo que não acredito, razão por ter negado as pressões recebidas.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 − um =