Vereadora de BH fez o ‘L’ com as mãos para eleitores petistas e precisou ir às redes justificar episódio ocorrido na sexta-feira – Foto: Reprodução/Instagram

 Por O TEMPO
Após toda a polêmica envolvendo o pré-candidato ao governo de Minas Miguel Corrêa (PDT), que foi duramente criticado por Ciro Gomes, presidenciável de seu partido, em razão de ter feito declarações elogiosas a Lula, agora é a vereadora de Belo Horizonte Duda Salabert quem causa incômodo entre os ciristas ao também indicar apoio ao petista nas eleições. Duda, cogitada como candidata do PDT ao Senado em Minas Gerais, foi gravada fazendo o gesto do “L” com a mão e compartilhou o momento também em suas redes sociais, gerando reclamações de apoiadores de Ciro Gomes nas redes sociais. No vídeo, é possível ver que os ocupantes do trio estavam com uma toalha de Lula.

Com seu nome fortemente comentado em razão da polêmica, Duda resolveu se explicar, também nas redes. “Oi querida, ontem um trio elétrico festivo, que roda nas noites de BH, parou no sinal vermelho ao lado de meu carro. Fui acolhida com imenso carinho, gritos etc. Algo muito lindo e raro de se ver na política. Ao abrir o sinal, entre os beijos, fiz um L. Repliquei nos stories”, disse ela.

Duda Salabert continuou explicando o episódio e defendeu-se das acusações de traição. “Se isso incomoda, não poderei sair nas ruas de BH e do país pois por onde ando há situações parecidas. Na segunda, em Brasília, por exemplo, palestrei no encontro nacional de agricultores. Quando subi ao palco, a banda/público tocou o jingle do Lula ao meu lado. P/ odiosos, sugiro printar tb”, publicou.
Ela ainda afirmou que na terça-feira foi convidada para estar em um evento do PSOL com Boulos e que também houve gritos de Lula quando estava no palco.

Essa não é o primeiro episódio de constrangimento para Ciro em Minas. Na última semana ele disparou contra Miguel Corrêa, até então pré-candidato do PDT ao governo do Estado, dizendo que o ex-petista seria ficha suja e que não concorreria pelo partido. As declarações dadas em entrevista à CNN Brasil e ocorreram semanas após Miguel Corrêa dizer, em entrevista a uma emissora da Record no Alto Paraníba que “a vitória do Ciro é ter Lula no governo do Brasil”.

As críticas frontais de Ciro à candidatura de Miguel Corrêa fizeram com que o presidente do PDT em Minas, Mario Heringer, anunciasse que vai deixar o cargo e a coordenação da campanha do presidenciável em Minas. Ele alegou que os ataques de Ciro seriam não apenas a Miguel, mas às articulações que ele tem feito no comando da legenda em Minas.

Neste domingo (29), Mario Heringer tentou encerrar a polêmica e reforçou nas redes que é Ciro Gomes. O ex-governador do Ceará retribuiu e, compartilhando a mensagem de Heringer, afirmou que admira e respeita o colega de partido. “Estaremos sempre juntos!”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × dois =