Argentinos mantêm histórico imbatível em semifinais e agora esperam o vencedor de França e Marrocos

Argentina confirmou seu histórico imbatível em semifinais de Copa do Mundo e venceu a Croácia por 3 a 0 nesta terça-feira (13), em Lusail, tornando-se a primeira seleção qualificada para a grande final Copa do Mundo do Catar 2022. Os argentinos agora esperam o adversário, a ser decidido amanhã (14), no estádio Al Bayt, em Al Khor, no duelo entre França e Marrocos. A final será jogada no próximo domingo (18), às 12h de Brasília, em Lusail.

Os primeiros 15 minutos do jogo foram mornos, com ambas equipes trocando passes, estudando o adversário, marcando no meio de campo e promovendo investidas despretensiosas ao ataque. Assim como contra o Brasil, nas quartas, a Croácia se defendia ao manter a posse de bola em maior medida que o adversário.

Nos 15 minutos seguintes o ritmo foi aumentando por parte da Argentina até que aos 31 minutos Julián Álvarez recebe lançamento por trás da zaga e é derrubado, dentro da área, pelo goleiro Livakovic: pênalti. Messi bateu alto e forte para abrir o placar para os hermanos. Livakovic e Kovacic receberam cartões amarelos logo em seguida.

Aos 38 foi a vez de Julián Álvarez receber a bola na meia esquerda e disparar na direção do gol, em corrida na qual dividiu e trombou com pelo menos 4 croatas antes de empurrar para as redes: 2 a 0 para a Argentina.

Aos 42 minutos, MacAllister quase marca o terceiro de cabeça após cobrança de escanteio, obrigando Livakovic a fazer uma difícil defesa. Nos instantes finais da primeira etapa Messi emplaca uma série de dribles e é derrubado pelos croatas. O juiz então apitou não a falta, mas o fim do primeiro tempo.

No segundo tempo a Argentina começou pressionando os croatas e, aos 12 minutos, Messi recebeu dentro da área e obrigou Livakovic a fazer grande defesa. A partir dos 15 minutos a Argentina chamou a Croácia e enquanto os croatas tentavam diminuir, os argentinos apostavam em jogadas de contra ataque. Em uma delas, aos 24 minutos, Messi recupera uma bola perdida na lateral direita e faz uma bela jogada individual com a qual invade a área, deixa o zagueiro Gvardiol a ver navios, chega à linha de fundo e, com a defesa croata perdida, rola para Julián Álvarez fazer o terceiro gol argentino.

Os últimos vinte minutos da partida mostraram uma Croácia abatida, que até tentou chegar ao gol argentino, mas não ofereceu perigo. A Argentina, por sua vez, claramente começou a poupar-se para a final e foi levando a decisão para o seu fim com inteligência, fechando espaços e formando uma linha de cinco defensores quando estava sem a bola.

As outras quatro semifinais argentinas em Copas do Mundo

Nas cinco ocasiões em que disputou as semifinais de uma Copa do Mundo, a Argentina sempre chegou à final – contando a deste ano. E isso ocorreu logo na primeira Copa do Mundo, em 1930, no Uruguai, quando venceu os Estados Unidos por 6 a 1 e em seguida perdeu a final para os anfitriões, por 4 a 2.

Em sua outra campanha vice-campeão, na Itália em 1990, os argentinos tinham eliminado o Brasil e a Iugoslávia nas fases anteriores, até empatarem com a anfitriã em 1 a 1 pela semifinal. Os Hermanos venceram a disputa de pênaltis por 4 a 3. Na final, derrota por 1 a 0 para a Alemanha. O roteiro teve um desfecho parecido em 2014, no Brasil, quando novamente perderam uma final para os alemães. No entanto, passaram pela Holanda nas semifinais após empate sem gols e vitória nas disputas de pênaltis por 4 a 2.

Na Copa de 1986, no México, os argentinos foram campeões vencendo os alemães na final por 3 a 2. Na semifinal, vitória por 2 a 0 sobre a Bélgica. Já a Copa de 1978, vencida pelos argentinos na condição de anfitriões, não teve uma fase semifinal. Os finalistas foram qualificados a partir de uma segunda fase de grupos. A classificação argentina veio após uma polêmica vitória por 6 a 0 sobre o Peru, que a colocou em posição superior ao Brasil pelo saldo de gols.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + dezesseis =