MENSAGENS DE ÓDIO – Grupo exibiu cenas pornográficas, bandeiras nazistas, gritos de Heil Hitler e músicas de baixo calão, interrompendo o encontro

Jornal O Tempo
Cerca de 100 pessoas que acompanhavam, na noite de quinta-feira (10), a 1ª Conferência Municipal de Igualdade Racial de Divinópolis, no Centro-Oeste mineiro, foram surpreendidas por mensagens de cunho nazista que levaram à interrupção do encontro, que acontecia virtualmente.

A informação foi divulgada pela Prefeitura de Divinópolis, que explicou que os ataques aconteceram após cerca de 50 minutos de reunião, durante a leitura do regimento. Foram postadas na plataforma postagens de cenas pornográficas, bandeiras nazistas e gritos de Heil Hitler, seguidos de músicas de “baixo calão”.

“Isso fez com que uma das organizadoras, Marcelina Liberaro, fosse obrigada a interromper a conferência, que somente pode ser retomada posteriormente”, conta o gerente da Casa dos Conselhos, Paulo Marius.

O presidente do Conselho de Igualdade Racial do município, Célio Lopes, disse estar extremamente chateado com a situação.

“Me senti impotente vendo tudo aquilo, sem saber de onde vinha, sem poder fazer nada. Mas, ao mesmo tempo, isso me fortaleceu, pois vi que estou no caminho certo, que nossa luta pelo povo negro, por nossa religiosidade, está incomodando. Por isso vamos conseguir cada vez mais ocupar o lugar que merecemos na sociedade, não vamos desistir”, afirma.

A Prefeitura de Divinópolis repudiou os ataques, chamados de “ato anti-democrático, racista e vergeonhoso”. “Esperamos que as forças de segurança possam descobrir os responsáveis”, completou o executivo municipal.

Ocorrência na polícia
Após os ataques, Célio Lopes conversou com a vice-prefeita, Janete Aparecida, que registrou um boletim de ocorrência na Polícia Militar (PM). “As investigações para poder chegarmos ao autor serão conduzidas pela Polícia Civil (PC), completou a Prefeitura.

“Nosso povo negro é forte e está acostumado a enfrentar todo tipo de dificuldade. Esse ataque no primeiro dia da conferência é só um exemplo das muitas lutas que o povo negro tem que enfrentar para vencer o racismo e outros tipos de intolerância, mas desistir jamais”, disse a vice-prefeita.

A subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Divinópolis também repudiou o ataque nazista ocorrido na Conferência.

“A invasão por neonazistas é um dos sintomas da progressiva deterioração do Estado Democrático de Direito e dos contínuos ataques aos direitos humanos no Brasil. O nazismo marcou negativamente a história da humanidade como um movimento racista, nacionalista, antissemita e eugenista que deflagrou a Segunda Guerra Mundial”, pontuou a nota, que ainda exige a investigação e punição dos responsáveis pelo crime.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 − quatro =