‘Gol-relâmpago’ de Pedro Geromel definiu triunfo gaúcho no Independência

 Nem as recentes mudanças fora de campo foram suficientes para impedir mais uma derrota do Atlético no Campeonato Brasileiro. No primeiro jogo após a escolha de Marques para a diretoria de futebol no lugar de Alexandre Gallo, o time alvinegro não conseguiu apresentar evolução esperada pelo presidente Sérgio Sette Câmara. O resultado no Independência? Derrota por 1 a 0 para o Grêmio, pela 32ª rodada, na tarde deste sábado.

Derrota não abala confiança de Levir Culpi: ‘Cabe a mim levantar esses atletas’

 Após a derrota para o Grêmio, por 1 a 0, dentro de casa, o técnico Levir Culpi lembrou outras passagens suas pelo Galo para reforçar a ideia de que o time poderá voltar a vencer nas rodadas restantes do Brasileiro – de preferência no próximo domingo, contra o Palmeiras, no mesmo Independência -, e manter as chances de garantir vaga na Libertadores do ano que vem.

“Sinto que isso é possível porque passamos por momentos muito piores do que este. Estamos aqui tentando ir para a Libertadores e já houve ocasiões em que buscávamos coisas mais difíceis. Nós chegamos a disputar a Série B, o que espero que jamais aconteça de novo”, citou o treinador.

Levir também afirmou que se fia na qualidade do elenco, que considera apto a dar a volta por cima no campeonato. “Cabe a mim levantar esses atletas. Porque temos 25 ou 30 aqui, todos com currículo, não tem nenhum fraquinho. Trata-se de um time que hoje é capaz de vencer o Grêmio, que é uma das melhores equipes do país, e poderíamos de fato ter conseguido isso pelo que apresentamos, mas não aconteceu”, disse.

O técnico, que comanda o Galo pela quinta vez, voltou a afirmar que ainda está em processo de familiarização com os profissionais que tem à disposição, cada um com características próprias. Reconheceu a legitimidade da bronca dos torcedores, que vaiaram a equipe após a derrota para os gaúchos, e ressaltou que se esforçará para fazer um bom trabalho psicológico com o grupo, durante a semana, visando ao confronto com o Palmeiras, líder do Brasileiro.

“Estamos muito abaixo do que podemos opferecer, por uma série de fatores. O momento é muito delicado porque a gente verifica até a perda de autoestima por alguns jogadores. Mas ainda há tempo de darmos uma virada”, garantiu.

 

Desequilíbrio tático ofensivo é problema que Levir Culpi precisa ajustar no Atlético

 É natural que equipes de futebol, por mais desenvolvido que seja o nível de jogo apresentado, repitam padrões na construção ofensiva e tenham setores preferenciais para realizar determinadas jogadas. Com o Atlético, entretanto, esse se tornou um dos motivos para o fraco desempenho do ataque nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro.

Nas últimas cinco partidas, a equipe marcou apenas um gol. Esse cenário fez com que o Atlético perdesse quatro vezes, empatasse uma e não vencesse nenhuma. Com isso, a tão sonhada vaga na próxima edição da Copa Libertadores ficou ameaçada.

Existe um claro desequilíbrio na criação de oportunidades. O time insiste, sem sucesso, em repetidos avanços por um mesmo setor. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =