Ato foi contra os cortes na educação e a reforma da Previdência 

Estudantes, professores e representantes de movimentos sindicais se reuniram na tarde desta quinta-feira (30) em Montes Claros, no Norte de Minas, para protestarem contra a reforma da previdência e os cortes de verbas na educação, propostos pelo governo Bolsonaro.

A concentração dos manifestantes é na Praça Doutor Carlos, no Centro da cidade. De acordo a professora Iara Pimentel, os protestos servem para despertar a atenção dos deputados a votarem contra as proposta do governo.

“Estão tirando de nós o direito constitucional à educação. Toda vez que o governo corta recursos, inviabiliza a educação pública, retira os direitos de profissionais da educação de estarem em salas de aula atendendo, principalmente, àqueles que mais precisam. Isso é um ataque aos nossos direitos”.

Diversos estudantes discursam contra as medidas do governo. Segundo a presidente do Diretório dos Estudantes da Unimontes (DCE), Alice Proença, o corte no repasses de verbas à educação afeta o desenvolvimento de projetos da maior universidade do Norte de Minas.

“A gente já está vendo o sucateamento da universidade. Faltam bolsas de pesquisas, bolsas de assistência estudantil; estas bolsas que nos ajudam a permanecer dentro da universidade. A gente sabe que com estes cortes as nossas chances de permanecer dentro da universidade vão ser cada vez menores. E, sem investimento a precarização do ensino passa a ser maior”.

Este é o segundo protesto realizado em Montes Claros contra o corte de verbas para a educação e contra a reforma da previdência. O ato também teve concentração no centro da cidade, no dia 15 de maio.

Com G1 Grande Minas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − 4 =