Cerimônia comunitária inédita teve direito a decoração, música, fotógrafos e vestido branco com grinalda; emocionadas, esposas dos presos realizaram sonho e pretendem seguir em frente.
Por Juliana Gorayeb, G1 Grande Minas

Cinco casais participaram de celebração e trocaram alianças emocionados em presídio de Montes Claros — Foto: Juliana Gorayeb/G1

As dificuldades de uma vida privada de liberdade envolvem famílias inteiras de quem está na prisão, mas elas não foram capazes de impedir que cinco custodiados do Norte de Minas realizassem um sonho: levar as esposas até o altar. Uma cerimônia comunitária foi realizada nesta sexta-feira (23) no Presídio Regional de Montes Claros para cinco homens que estão detidos no local. As esposas deles aceitaram dizer o tão sonhado “sim”, com direito a vestido branco, decoração, música e até convidados. A celebração religiosa dentro da cadeia é inédita na cidade e foi organizada pela Pastoral Carcerária, em parceria com grupos religiosos e voluntários.

Os homens que se propuseram a participar só tiveram que demonstrar a vontade de celebrar o momento. Todos eles já eram casados no civil e puderam levar os enlaces até o religioso, para receberem bênçãos de um pastor e um representante da igreja católica. A diretora de atendimento e ressocialização do Presídio Regional, Mônica Esteves Pereira, ressalta que o momento permite o convívio social com familiares. “É uma forma de promovermos a inserção social, de possibilitarmos que eles convivam com as famílias. Acreditamos que estas pessoas podem reconstruir a vida delas e voltar para a sociedade melhores”, diz.

A pastora evangélica, Cláudia Lafetá, ajudou a pensar e captar apoios para o projeto. Segundo ela, a iniciativa de levar religiosidade para dentro das grades já existe há alguns anos, e o casamento é mais uma proposta de humanizar a vida dos custodiados.

“O casamento é importante para realizar sonho das esposas. Os homens que estão privados de liberdade talvez nunca pudessem realizar este sonho. Estamos muito felizes com o trabalho porque acreditamos na humanização, e estes trabalhos podem dar segunda oportunidade para quem nunca teve nenhuma, é um público excluído da sociedade. Preparamos tudo com muito amor. Um dos pontos que mais ressaltamos quando montamos o projeto foi a ideia de tirar o cenário de presídio e proporcionar tudo que eles têm direito”, afirma.

O coordenador arquidiocesano da Pastoral Carcerária, Dilson Marques, celebra a união de grupos para proporcionar um momento mágico para as famílias dos custodiados. “É a primeira vez que acontece um casamento religioso e comunitário dentro de um presídio em Montes Claros. É mais uma ação que colabora com a harmonia entre pessoas privadas de liberdade e familiares. Agora, os casais passam a estar juntos aos olhos de Deus. Somos várias igrejas juntas em torno do mesmo objetivo, matar o criminoso que há dentro deles e salvar o homem. Nós congregamos da mesma ideia, que Cristo é o caminho da vida”, comemora.

Momentos de emoção
Silvia e Anderson, Tiago e Rosângela, Alessandra e Widson, Ana Cláudia e Edvaldo, Ilson e Elisandra tiveram organizadores de sorte para a cerimônia deles, que pensaram em todos os detalhes. Tapete vermelho, flores, bolos e bombons permitiram que os convidados se esquecessem por alguns instantes das grades do presídio. Antes de começar o evento no hall da cadeia, a ansiedade das noivas era evidente. Elas se vestiram e se maquiaram em uma pequena sala do local, com ajuda de profissionais que colaboraram com a causa.

Através de ajuda de parceiros, noivas foram maquiadas e vestidas em uma sala do presídio — Foto: Juliana Gorayeb/G1

A dona de casa Rosângela Soares Santos foi uma das primeiras a ficar pronta, e as expectativas dela eram as melhores possíveis. “Vai ser muito bonito. É um sonho que estamos realizando. Creio que Deus preparou para cada um o momento de hoje, ainda que seja num lugar considerado impróprio. Estamos muito felizes para realizar tudo que Deus preparou”, comemora.

O noivo dela, Thiago Reis de Oliveira, ainda não a tinha visto de vestido branco, mas não escondia a ansiedade de realizar o sonho e ver o sorriso no rosto da esposa. “Não tem como a expectativa não ser grande, né? Estamos realizando um sonho de qualquer mulher. Estamos tendo uma oportunidade única, e já estamos agradecendo a Deus. Nunca pensamos que aqui dentro fôssemos viver isso, por isso estamos ansiosos”, comenta.

Esposos esperavam ansiosos para ver mulheres de vestido branco e grinalda — Foto: Juliana Gorayeb/G1

Para quem colaborou com o projeto, a proposta também trouxe emoção. A musicista Vera Alencar levou para dentro das grades uma estrutura de som e instrumentos que harmonizaram o ambiente. Foi a primeira apresentação dela na prisão, e aceitou fazê-la por motivos especiais.

“É a primeira vez que a gente faz casamento em um presídio. É muito gratificante porque acreditamos nas pessoas, independente de onde estiverem, e principalmente no amor. A escolha do repertório foi feita com sugestões das noivas, tudo para ficar como acontece nas igrejas e fora das grades”, comenta.

Depois da marcha nupcial e durante as trocas de alianças, os casais trocaram juras. A primeira delas, Silvia, celebrou a chance de ter conhecido o esposo. “Sempre pedi a Deus um homem com vários requisitos, mas quando pedi a Ele alguém que me fizesse feliz, você apareceu. Te prometo fidelidade e te fazer feliz até o último dia de nossas vidas”, discursou.

Quando pedi a Deus um homem que me fizesse feliz, você apareceu’, diz mulher que se casou no presídio — Foto: Juliana Gorayeb/G1

Os poucos convidados se emocionaram e oraram pelos casais. Os filhos dos custodiados com as esposas também participaram da cerimônia, levaram alianças e abraçaram os pais. O momento trouxe comoção aos detentos e até aos funcionários do local.

Ao final, o G1 falou com o Thiago Reis e a esposa Rosângela, para saber se todo o evento havia sido como eles sonharam. A resposta veio cheia de sonhos e planos para o futuro. “Agora é vida nova, quero agradecer a Deus por ter nos dado aquilo que não esperávamos. A partir desse dia estaremos mais firmes ainda, para quando sair cuidar melhor da minha família e fazer tudo diferente”, diz o custodiado.

Participação dos filhos dos custodiados trouxe emoção a cerimônia — Foto: Juliana Gorayeb/G1

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − dezesseis =