– O político que chegou perto de presidir o Brasil é um deputado discreto que ainda não falou na tribuna. Mas quer mais

Aécio Neves voltou a ser deputado federal com o máximo de discrição para um político que liderou o PSDB por quatro anos e chegou perto de presidir o Brasil, até ser arrebatado por denúncias e gravações na Lava Jato. Ainda não fez discurso na tribuna e sai no meio das sessões e das reuniões do PSDB para se recolher em seu gabinete, em um espaço dos mais reservados da Casa, no subsolo do plenário. A reportagem é do jornal O Globo.

Com pé direito baixo e nenhuma janela, o gabinete perdeu a cozinha e ganhou um ar-condicionado potente. O que acabou com um velho hábito: as fornadas de pães de queijo que saíam quentinhos de seu gabinete no Senado e da presidência do PSDB na mesma casa.

Aécio, contudo, não dá sinais de que vá se contentar com seu esconderijo sem janelas por quatro anos. Quer integrar comissões importantes e, antes do carnaval, protocolou seis projetos de lei voltados à assistência social, transparência e melhoria do sistema público de saúde. Mas, para ganhar espaço, terá de vencer uma ala do partido que o vê com desconfiança — em especial, setores do tucanato cada vez mais próximos do governo Bolsonaro.

Leia a matéria na íntegra.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 12 =