O Brasil entra na “lista suja” de países que serão examinados por suspeitas de violar as convenções internacionais do trabalho. A Organização Internacional do Trabalho iniciou nesta semana sua reunião que marca os cem anos da entidade e enviou um convite ao presidente Jair Bolsonaro, mas o governo não enviou sequer um ministro. O País foi selecionado na manhã desta terça-feira (11) entre 24 nações que serão examinados como prioridade.

De acordo com o blog do jornalista Jamil Chade, “ao saber da inclusão do Brasil na lista, o governo não disfarçou a irritação, transmitindo insinuações a grupos aliados de que a decisão havia sido política e com base num confronto entre sindicatos de esquerda e o governo Bolsonaro”.

Em 2018, a OIT acabou não condenou o Brasil, mas pediu que o governo fizesse uma análise do impacto da reforma e que Brasília explicasse como foram as consultas com sindicatos antes da adoção da reforma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 8 =