Senador mineiro é duplamente vitorioso: conseguiu evitar a comissão mista e conquistou o cargo mais importante da CPI exclusiva

Escolhido por aclamação, o senador mineiro Carlos Viana (PSD) será o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado, que vai apurar as causas do desastre de Brumadinho. A presidente é a senadora Rose de Freitas (Pode-ES) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) será o vice.

Matéria publicada aqui mostrava o senador como líder de uma iniciativa para substituir a comissão mista de deputados e senadores por duas comissões separadas e paralelas, em vez de uma só: uma na Câmara e outra no Senado.

A divisão foi interpretada por vários deputados como uma manobra para confundir e fragilizar as apurações, reforçada pela revelação de que o senador recebeu doações de mineradoras para sua campanha. O senador negou a manobra, atribuindo as acusações à perseguição de rivais. Certo é que acabou sendo duplamente vitorioso no processo: conseguiu evitar a CPI mista e ainda conquistou o cargo mais importante da comissão exclusiva.

A CPI foi instalada oficialmente no início da tarde desta quarta (13/03) e a primeira medida anunciada foi a convocação do ex-presidente da Vale, Fábio Scharvtsman, e do presidente interino da mineradora, Eduardo Bartolomeo, para falarem à comissão.

Os outros membros titulares da comissão são: Antonio Anastasia (PSDB-MG), Selma Arruda (PSL-MT), Dário Berger (MDB-SC), Márcio Bittar (MDB-AC), Jorge Kajuru (PSB-GO), Telmário Mota (PROS-RR) e Wellington Fagundes (PR-MT) . Já os suplentes são Roberto Rocha (PSDB-MA), Leila Barros (PSB-DF), Jean Paul Prates (PT-RN) e Otto Alencar (PSD-BA).

Via Os Novos Inconfidentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 17 =