Mais de 100 mil caem na folia em diversas cidades do Vale.

Povo do Vale faz festa no Carnaval

Apresentação do Bloco Biri Biri, na Praça do Mercado de Diamantina.

Diamantina tem blocos, criatividade e irreverência 

Minas Novas vai dos lados, à frente e atrás do trio elétrico  

Trio elétrico em Minas Novas, abraçado por foliões muito animados.

Berilo pula com bandas e praia do rio Araçuaí 

Jequitinhonha anima ruas e praças com blocos caricatos

Uma migração de foliões invade as praias do sul da Bahia

O povo do Vale é alegre e festeiro. Os maiores carnavais do interior de Minas estão por aqui.
Muitas cidades têm tradição de realização do Carnaval, blocos, fantasias, desfiles, concursos de marchinhas, matinês, bailes de idosos e o escambau. Tem de um tudo um pouco.

Muitos blocos já acabaram no tempo, outros renasceram. Fantasias muitas, esquecidas, são resgatados pela galera jovem, tiradas do baú dos pais ou da vovó.

Mas, ainda são poucos que se fantasiam.

A moda é o bloco com vestimenta padronizada com bermuda e camiseta,

música axé e o renascimento dos trios elétricos.

Essa semana as cidades se agitam e fervem de aprontações.

Já entra em ebulição com a chegada de foliões, os filhos ausentes do Vale, o coração presente que vale.

O clima de festa, folia, farra, alegria, cantoria, dança, irreverência, criatividade, já transforma cada lugar, cada rua.

Carnavais mais antigos na animação e desfile de gente bonita são os mais chamativos: Diamantina é atração sem igual.

Minas Novas é do mais antigo trio elétrico. Berilo tem bandas e praia de rio.  Itinga volta com força.

Jequitinhonha  faz festa à beira do rio com muitos blocos.

Os foliões de municípios vizinhos vão para essas cidades.

Geralmente, são contratadas bandas de música axé com um palco fixo na praça principal ou em praias dos rios Araçuaí e Jequitinhonha.

Algumas cidades procuram na realização do Carnaval botar fogo na energia festiva da moçada.

Para o povo de Coronel Murta fazer folia na Praça e nas praias do

rio Jequitinhonha já tá valendo.

Outras cidades esperam que as prefeituras contratem bandas.

Algumas fizeram isso, outras não.

Porém, aqueles que gostam de carnaval e moram nesses e outros lugares já programam viagens para outras cidades vizinhas do Vale.

Ou então, vão para as folias das praias de Porto Seguro, Arraial D’Ajuda e Belmonte, no jequitinhonha baiano.

O que o povo do Vale não quer é perder a oportunidade de fazer festa nos dias de carnaval.
O movimento em todas as cidades deve chegar a 100 mil pessoas brincando carnaval.

Diamantina: o Carnaval dos turistas

O carnaval mais famoso e diferente das cidades do Vale é o de Diamantina.

Diamantina tem característica específica com desfiles de blocos caricatos, com músicas próprias.

Para Diamantina vão turistas estrangeiros e de todos os estados brasileiros.

Muitos foliões do Vale já descobriram essa opção e para lá vão curtir 4 dias de canto, dança e fantasia.

Os moradores da cidade alugam suas casas mobiliadas e viajam. Aproveitam para faturar algum.

É o carnaval mais forasteiro de todos. Há poucos diamantinenses curtindo a festa. A preocupação com a preservação do patrimônio cultural tem levado a  população a cobrar da Prefeitura mais fiscalização e orientação aos foliões.

Neste ano, a Prefeitura e o Conselho de Patrimônio Cultural dividiram espaços na cidade para vários tipos de manifestações carnavalescas, indo de blocos, batuque, desfiles como som automotivo.

Na programação, há 51 Blocos que sairão pelas ruas e becos calçados de pedras tortuosas na cidade colonial.

A Prefeitura estima que cerca de 20 mil visitantes por dia passarão na cidade.

Minas Novas dança, pula e vai
atrás do trio elétrico

“Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu…”

O povo de Minas Novas conhece bem este canto frevoso de dança, de paz e folia do Caetano Veloso. Só que o povo não obedece: vai atrás, dos lados e na frente do trio elétrico.

* Jornalista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + seis =