Acordo prevê continuidade do trabalho com o Fluminense paralelamente

 Fernando Diniz foi anunciado nesta terça-feira como técnico interino da Seleção, com contrato de um ano. Comandante do Fluminense, ele esteve na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Barra da Tijuca, para acertar os últimos detalhes com o presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues. O dirigente ainda afirmou que italiano Carlo Ancelotti, do Real Madrid, assumirá o cargo na Copa América e comandará a Seleção no ciclo até a Copa do Mundo de 2026.
– (Diniz) Vai dirigir a Seleção com toda autonomia – afirmou Ednaldo, que confirmou a apresentação de Diniz para esta quarta-feira, às 15h (de Brasília), na sede da CBF.
– Tem muitos treinadores bons no Brasil, e Diniz foi por conta de trabalho que entendi que era inovador, a partir do momento em que ele fez trabalho no Audax. Depois, passou por outros clubes tendo a mesma filosofia de jogo, sem ficar mudando. Sempre teve o mesmo método e gostei muito pela renovação que ele fez, das aplicações táticas. Então, é um treinador que realmente a proposta de jogo dele é quase parecida também com a do treinador que assumirá a partir da Copa América, o Ancelotti. Tem quase o mesmo tipo de proposta de jogo – explicou.
Era um modo diferente de treinar os atletas. Saiu de uma mesmice para situações arrojadas. Tenho certeza que todo esse trabalho e competência que ele tem, vai aplicar na seleção brasileira e será muito bem exibida por todos os atletas – disse Ednaldo.

Fernando Diniz também falou pela primeira vez como técnico interino da Seleção:

– Um sonho para qualquer um, uma honra e um orgulho enorme poder prestar serviço para a Seleção. É uma convocação, ainda mais do que jeito que aconteceu. Um trabalho em conjunto da CBF com o Fluminense e eu tenho convicção de que a gente tem tudo para levar isso adiante e fazer com que dê certo – afirmou Diniz.

O combinado nas negociações é que Fernando Diniz concilie o trabalho com o Fluminense e se apresente nas datas Fifa para comandar a Seleção. A CBF procurou o clube para tratar da liberação, e a resposta foi que isso só ocorreria mediante pagamento de multa.

Posteriormente, as partes chegaram a um consenso. Com o acordo, o Tricolor não será prejudicado em momentos-chave da temporada, como o mata-mata da Libertadores. O presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, e o diretor de futebol, Paulo Angioni, acompanharam o treinador nesta terça-feira na sede da CBF.

Ele é treinador, vai conciliar o Fluminense o período todo lá e como treinador da seleção brasileira. Como treinador da seleção brasileira, a gente não coloca ele como interino. Ele tem contrato de 12 meses de duração. Vai chegar e fazer a transição da seleção brasileira para o treinador Ancelotti, que vai assumir ali na Copa América – afirmou Ednaldo.
Não há definição se Fernando Diniz permanecerá na comissão técnica da Seleção após a chegada do italiano. O primeiro compromisso do novo treinador será a abertura das eliminatórias, em setembro. Na data Fifa de 4 a 12 de setembro, o Brasil recebe a Bolívia, em local a definir, e visita o Peru, em Lima.
O interino terá ainda mais quatro partidas em 2023, todas pelas eliminatórias: Venezuela (em casa) e Uruguai (fora), em outubro, Argentina (em casa) e Colômbia (fora), em novembro. Se Ancelotti não deixar o Real em janeiro, Diniz será o comandante da Seleção ainda na data Fifa de março de 2024, quando serão disputados dois amistosos, um deles já marcado, contra a Espanha, em Madri.
Fica a dúvida a respeito de quem será o responsável por convocar e dirigir o Brasil nos compromissos de junho de 24. O contrato de Carlo Ancelotti com o Real Madrid termina no dia 30 daquele mês, por mais que a temporada europeia se encerre com a final da Champions, dia 1º.
O calendário de seleções prevê uma data Fifa de 3 a 11 de junho e em seguida a realização da Copa América dos Estados Unidos, com abertura marcada para o dia 20. Outro ponto de interrogação no calendário de 2024 diz respeito ao pré-olímpico de janeiro, que tem boas chances de ser realizado na Venezuela e dará duas vagas para os Jogos de Paris-2024.
Ramon Menezes, treinador interino nos três primeiros jogos da Seleção neste ano, com derrotas para Marrocos e Senegal e vitória sobre Guiné, segue no cargo na seleção sub-20. Não há, no entanto, calendário pré-definido para a categoria no segundo semestre deste ano.

Ramon vai dar sequência na sub-20 e já fazendo trabalho também para o Pan-Americano, que tem datas até 5 de novembro. Depois tem Pré-Olímpico em janeiro, e eu acho que vai ser também importante para a seleção sub-23, que são atletas bem formados. Com certeza, ele tendo desprendimento, pelo melhor do futebol brasileiro, certeza o Diniz também pode ter informações que possam ser importantes para a boa apresentação da Seleção – comentou Ednaldo.

Com o interino oficializado, a CBF agora corre para colocar em prática e no papel toda a confiança pelo acerto com Carlo Ancelotti. Apesar do otimismo, questões centrais ainda precisam ser discutidas, desde bases salariais até comissão técnica, passando por logística e local onde o italiano vai morar.

GE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 5 =