Em jogo com expulsão e pênaltis, Flamengo foi eliminado para o Al Hilal – Gabriel Barbosa não aguentou a pressão do time árabe — Foto: Divulgação/ FIFA

 Na estreia do Rubro-Negro carioca no Mundial de Clubes, o Flamengo não aguentou a pressão do Al Hilal e perdeu por 3 a 2, nesta terça-feira (7/2). Com o resultado, o time de Vítor Pereira foi eliminado da competição. Pedro marcou os dois gols do Flamengo da partida.

Início de ano do Flamengo não começou tão bem. No dia 28 de janeiro, o time perdeu o título da Supercopa para o Palmeiras, na derrota por 4 a 3 no estádio Mané Garrincha. Após a chegada do técnico Vitor Pereira, o Rubro-Negro ainda não conseguiu emplacar bons jogos. Pelo carioca, nos últimos cinco jogos, o Flamengo empatou duas partidas e obteve três vitórias.

Primeiro tempo

O jogo já começou complicado para o Flamengo. Logo aos 2 minutos, Aldawsari enfiou a bola dentro da grande área, encontrou Vietto. Na hora da finalização, Santos e Matheuzinho chegaram pressionando e o árbitro Istvan Kovacs marcou o pênalti a favor do Al-Hilal. Na cobrança, Aldawsari marcou o primeiro para os árabes.

Na tentativa do empate, aos 14 minutos Arrascaeta tocou a bola para Gerson pela ponta esquerda, que foi invadindo a grande área e recebeu o contato do Abdulhamid, mas o juiz enxergou como simulação do flamenguista e deu o primeiro cartão amarelo ao Coringa no jogo.

O empate Rubro-Negro veio aos 19 minutos na troca de passes flamenguista. Matheuzinho encontrou Pedro sozinho pela direita da grande área. Com a ‘chapa’ do pé, o atacante mandou a bola para o fundo das redes, sem permitir qualquer chance para o goleiro Abdullah Al-Mayouf.

Na marca dos 40, após cobrança de escanteio do Al Hilal, a equipe árabe solicitou a marcação do pênalti, por conta de um possível toque de mão do David Luiz, mas o árbitro após ouvir o VAR, sinalizou que não foi nada e mandou o jogo seguir.

Já nos acréscimos da primeira etapa, Vietto estava tentando fazer uma jogada individual contra David Luiz e Gerson, dentro da grande área. Gerson pegou no tornozelo do atacante do Al-Hilal, e após consulta no VAR, o árbitro marcou o pênalti, além de dar o segundo cartão amarelo para o volante flamenguista, que consequentemente foi expulso. Na cobrança, Aldawsari converteu, e marcou mais um gol para a equipe mandante.

Segundo tempo

Sem poder de reação, o Flamengo não conseguiu emplacar uma boa segunda etapa. As poucas chances cariocas aconteceram no início do tempo complementar. Aos 6 minutos, David Luiz pegou a sobra, abriu pela esquerda e encontrou Ayrton Lucas. O lateral fintou o adversário, e de fora da área mandou a bola nas mãos do goleiro.

Com 13, Marega passou pela ponta esquerda, limpou Matheusinho, deixou Khalifa na pequena área, que acabou isolando a bola. Na tentativa da reviravolta do Rubro Negro, Matheusinho pegou a bola pela ponta direita, quase saindo pela linha de fundo, fez o cruzamento dentro da área, e de cabeça Gabriel isolou a bola, em uma das unicas chances do idolo flamenguista do jogo.

O terceiro gol do Al-Hilal saiu aos 24, em que Marega abriu pela direita com Salem, invadiu a grande área e mandou de cavadinha para Vietto. O atacante do Al Hilal pegou de primeira, mandou na trave, mas a bola acabou entrando, ampliando o marcador para 3 a 1.

Já nos acréscimos, o Flamengo desceu pela ponta direita com Ayrton Lucas, que tentou o cruzamento para dentro da grande área, mas houve a interceptação. Na sobra, abriu pela direita, encontrou Gabriel livre, chutou forte, e livre Pedro finalizou e diminuiu o placar para 3 a 2.

Flamengo: Santos; Matheuzinho, David Luiz, Léo Pereira (Fabrício Bruno) e Ayrton Lucas; Everton Ribeiro, Thiago Maia (Vidal), Gabriel Barbosa, Gerson e Arrascaeta (Erick Pulgar); Pedro

Al-Hilal: Abdullah Al-Mayouf; Saud Abdulhamid, Hyun Soo Jang, Ali Al-Boleahi e Khalifa Aldawsari (Nasser D.); André Carrillo, Gustavo Cuéllar e Salem Al-Dawsari; Moussa Marega, Odion Ighalo (Michael) e Luciano Vietto (Mohammed Jafali)

Cartões amarelos: Gerson, Gabriel Barbosa, David Luiz, Erick Pulgar, Thiago Maia, Pedro (Flamengo); Vietto, Khalifa, Mohammed Jafali (Al-Hilal)

Cartão vermelho: Gerson

Arbitro: Istvan Kovacs

Porque o Flamengo é chamado de “cheirinho”?
A provocação ao Flamengo com o ‘cheirinho’ começou justamente com o Palmeiras em 2016. Naquele ano, os times disputaram o título do Brasileirão e a torcida rubro-negra criou o bordão ‘cheirinho de hepta’, mas o Verdão acabou levando a melhor. O clube carioca ficou na 3ª posição, também atrás do Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + dezesseis =