Às vésperas da análise do Superior Tribunal de Justiça (STJ), sobre a condenação por estupro pela Justiça italiana, o ex-jogador Robinho alegou que foi vítima de “racismo” e divulgou um vídeo nas redes sociais dizendo que teria fotos e prints que supostamente comprovam sua inocência.
“Esses mesmos que não tomam nenhuma providência sobre racismo são os mesmos que me julgaram, que não dão nenhuma voz para um negro que está tentando se defender. Eu tenho absoluta certeza que se fosse europeu, branco, meu julgamento teria sido totalmente diferente”, afirmou Robinho.

O ex-atleta afirma que as provas utilizadas teriam sido desconsideradas pela Justiça italiana e que isso seria um indício da postura racista de autoridades europeias. Ele diz ter “esperança” de poder se defender em julgamento no Brasil.

O ex-jogador de futebol Robson de Souza, o Robinho, 40, publicou um vídeo em suas redes sociais no qual mostra fotos e prints que, segundo ele, comprovariam sua inocência em relação ao caso de estupro de uma mulher de origem albanesa em 2013. ???? Leia mais em…

pic.twitter.com/eRkckiM8TW

— Folha de S.Paulo (@folha) March 19, 2024

O STJ vai decidir nesta quarta se acata o pedido feito pela Itália para que Robinho cumpra pena no Brasil. O país havia solicitado a extradição do ex-jogador, mas como a legislação impede a medida para brasileiros natos, autoridades europeias querem que a sentença seja cumprida no próprio território.

Ele foi condenado pela primeira vez em 2017 e recorreu diversas vezes, tendo as chances de recurso esgotadas em 2022. A sentença contra o ex-atleta prevê 9 anos de prisão e ele deixou a Itália antes do fim das investigações.

Além do vídeo publicado nas redes, Robinho foi entrevistado no programa “Domingo Espetacular”, da TV Record, no último domingo (17). Na ocasião, ele afirmou que não quer ser “inocentado sem provas”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × três =