O texto aponta Jair Bolsonaro como o principal entre os pedidos de indiciamento

Relatora da CPMI, senadora Eliziane Gama, apresenta o relatório ao lado do presidente do colegiado, deputado Arthur Maia 17/10/2023 (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

A CPMI dos atos golpistas 8 de janeiro aprovou, nesta quarta-feira (18), seu relatório final, por 20 votos a favor, 11 contra e uma abstenção. Foram meses de trabalho investigando supostos autores, financiadores e incentivadores dos ataques de bolsonaristas contra a Praça dos Três Poderes, em Brasília.

O documento pede o indiciamento, entre outros, de Jair Bolsonaro, militares do núcleo duro de seu governo e do ex-ministro Anderson Torres por golpe de Estado, associação criminosa e abolição violenta do Estado Democrático de Direito.

“Os fatos aqui relatados demonstram, exaustivamente, que Jair Messias Bolsonaro, então ocupante do cargo de presidente da República, foi autor, seja intelectual, seja moral, dos ataques perpetrados contra as instituições, que culminou no dia 8 de Janeiro”, diz o texto, ao apontar Bolsonaro como o principal entre os pedidos de indiciamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 3 =