Já estão abertas as inscrições para participar de evento da ALMG que vai discutir os desafios na convivência com fenômenos climáticos extremos no Norte de Minas.

Atacante da seleção brasileira Vinícius Júnior – Foto: 2024 Getty Images

O Norte de Minas vai receber mais um encontro regional do Seminário Técnico Crise Climática em Minas Gerais: Desafios na Convivência com a Seca e a Chuva Extrema. O evento, promovido pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), será realizado em Montes Claros na próxima sexta-feira (14/6/24). As discussões começam a partir das 9 horas, na Biblioteca Central da Unimontes (Av. Professor Rui Braga, s/n – Vila Mauriceia).
Ao longo de todo o dia, serão apresentados a situação da região perante a crise climática e exemplos de boas práticas para a convivência com as mudanças no meio ambiente. O evento é aberto à participação do público. As inscrições já podem ser feitas on-line ou presencialmente, no dia do encontro.
Pela manhã, logo após a mesa de abertura, o professor Mário Marcos do Espírito Santo, do Departamento de Biologia Geral da Unimontes, vai apresentar um panorama climatológico de Montes Claros e região. Em seguida, serão destacados os exemplos de boas práticas nessa área: assentamentos geraizeiros, manejo integrado de bacias hidrográficas e incentivo a usinas de energia solar.
À tarde, os impactos da crise climática serão discutidos por três professores do Instituto de Ciências Agrárias da UFMG: Áureo Eduardo Magalhães Ribeiro, Flávia Maria Galizoni e Flávio Gonçalves.
Conheça boas práticas na convivência com os desafios ambientais
Projeto Agroextrativista de Vereda Funda: A comunidade geraizeira de Rio Pardo de Minas articulou uma ação em rede para manter o seu modo de vida tradicional e a proteção do seu território. As ações de reconversão agroextrativista culminaram na constituição de um projeto de assentamento rural. Esse movimento teve como base um conjunto de tecnologias sociais e agroecológicas voltadas para a manutenção da disponibilidade hídrica, aliada à conservação da biodiversidade.
Assentamento Americana: Implantado em 2001 em Grão Mogol, é uma proposta diferenciada de ocupação e uso dos recursos naturais, baseada na agroecologia, no extrativismo e no modo de vida tradicional dos geraizeiros. Sua implementação possibilitou a ocupação do cerrado conciliando a produção de alimentos, a conservação da biodiversidade e a geração de renda para as populações camponesas.
Programa Minascoop Energia: O Sistema Ocemg orienta suas cooperativas afiliadas a construir usinas de energia solar, de modo a contribuir para a transição energética sustentável. São arrendados terrenos improdutivos para a instalação de painéis fotovoltaicos. Parte da energia gerada por esses sistemas é doada para organizações sociais e entidades filantrópicas.
Manejo integrado de bacias hidrográficas: Desenvolvido pela Emater-MG, esse programa busca compatibilizar a produção agropecuária com a preservação ambiental. O objetivo é garantir que todas as atividades econômicas dentro da bacia sejam desenvolvidas de forma sustentável e trabalhadas integradamente. Em parceria com prefeituras, associações e entidades governamentais, são construídas bacias de captação de enxurrada e terraços para proteger o solo da erosão provocada pela chuva.
Seminário busca soluções de longo prazo para lidar com clima extremo
O Seminário Técnico Crise Climática tem o objetivo de construir soluções estruturantes e de longo prazo para a convivência com os fenômenos climáticos extremos. Paralelamente aos encontros promovidos em diversas regiões do Estado, grupos de trabalho discutem planos e políticas públicas já existentes e apresentam sugestões para aprimorá-los.
A etapa final do seminário será realizada na ALMG nos dias 8 e 9 de agosto. As propostas apresentadas pelos participantes do evento poderão se desdobrar em pedidos de providências para autoridades, projetos de lei para aprimorar políticas públicas e emendas ao Orçamento do Estado e ao Plano Plurianual de Ação Governamental.
Além disso, por meio de parceria da ALMG com o Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC), serão fomentados projetos de inovação tecnológica voltados para o enfrentamento da crise climática.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 1 =