Partida marcou provável despedida do astro Luka Modric em Copas do Mundo; Marrocos se despede do Catar com campanha histórica e ‘título’ de sensação do mundial

A Croácia venceu o Marrocos neste sábado (17) por 2 a 1 na disputa pelo terceiro lugar da Copa do Mundo do Catar 2022. Com o resultado, os croatas atingem a posição pela segunda vez na história e se consolidam como uma forte seleção no cenário global, em especial após eliminar o Brasil e fazer um bom jogo contra a finalista Argentina. Além das terceiras colocações em 1998 e 2022, os croatas também foram vice-campeões em 2018, na Rússia. Nas outras três edições que disputou foi eliminada na primeira fase. Já os marroquinos se despedem do mundial com um histórico quarto lugar: é a primeira vez que uma equipe africana e de cultura árabe está entre as quatro melhores do planeta.

Os gols foram marcados ainda no primeiro tempo da partida. Logo aos 6 minutos a Croácia abriu o placar com o zagueiro Gvardiol, de cabeça, após jogada ensaiada.

Apenas dois minutos depois o Marrocos empatou o certame. Ziyech levantou a bola na área em cobrança de falta para Dari completar, também de cabeça, para o fundo das redes.

Com o placar apontando a igualdade, o jogo esteve relativamente equilibrado, com uma leve vantagem croata baseada especialmente na técnica de Luka Modric. O desempate viria aos 41 minutos após roubada de bola de Kovacic na entrada da área. A bola sobrou para Orsic que com belo chute por cobertura desempatou a partida.

O segundo tempo novamente apresentou um certo equilíbrio, com margem técnica maior para a Croácia. No entanto os marroquinos foram pra cima e tentaram o empate, sem sucesso, ao longo de toda a etapa complementar.

Aos 19 minutos En-Nesyri obrigou Livakovic a fazer ótima defesa. Também os croatas tiveram boas chances de ampliar o placar como com Kovacic aos 41 minutos.

Ao final da partida os croatas comemoraram muito a terceira colocação, a segunda da sua curta história como país independente – iniciada em Copas do Mundo no ano de 1998, na França. Modric, visivelmente emocionado – e festejado pelas excelentes atuações –, pode ter feito aos 37 anos o seu último jogo em uma Copa do Mundo.

Já do lado marroquino, apesar das fortes reclamações contra a arbitragem do brasileiro Raphael Klaus ao final do jogo, sobretudo por Hakimi, o saldo é positivo. A campanha é histórica: é a primeira vez que um país africano e de cultura árabe figura entre as quatro melhores seleções do mundo. Os torcedores também garantiu o seu próprio show nesta partida saideira e nos demais jogos da seleção de Marrocos no mundial.

A Copa do Mundo do Catar acaba neste domingo (18), com a final que será jogada entre Argentina e França, em Lusail, ao meio dia de Brasília. A grande final, além de contar com os dois melhores jogadores do mundo – Messi e Mbappé – ainda marcará um tricampeão mundial inédito.

A França, atual campeã, pode conquistar um bicampeonato seguido, algo atingido apenas duas vezes na história, pela Itália em 1934 e 1938, e pelo Brasil em 1958 e 1962. Já a Argentina, se vencer, deixa para trás uma fila de 36 anos sem conquistar o mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 7 =