O ex-político mineiro ficou conhecido pelo castelo avaliado em R$ 40 milhões que construiu em São João Nepomuceno (foto: Saulo Cruz/Agência Câmara)

Edmar Moreira, conhecido como ‘deputado do castelo’, morreu aos 83 anos na última sexta-feira (17/3) em Juiz de Fora, na Zona da Mata Mineira. Ele foi responsável pela construção do Castelo Monalisa, mansão avaliada em R$ 40 milhões localizada no município de São João Nepomuceno, também na Zona da Mata. O mineiro está sendo velado no distrito de Carlos Alves neste sábado (18/3).

Edmar foi advogado, capitão da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e deputado federal por Minas Gerais por mais de duas décadas: foram quatro mandatos e uma suplência. Durante sua atividade como parlamentar, também foi corregedor da Câmara dos Deputados.

O ex-deputado ficou conhecido por construir o Castelo Monalisa, uma mansão extravagante, na zona rural da cidade onde nasceu, São João Nepomuceno. O castelo conta com 37 suítes, uma adega no subsolo e até um parque aquático e foi colocado à venda por R$ 40 milhões em 2021.

Quem foi Edmar Moreira

Natural de São João Nepomuceno, Edmar Moreira ficou conhecido, em 2009, como o “deputado do castelo”, acusado de não ter declarado a propriedade ao Imposto de Renda.
Corregedor da Câmara dos Deputados e filiado ao antigo Democratas – hoje União Brasil – foi desligado do partido à época por causa de denúncias. Ele ainda renunciou aos cargos de corregedor e vice-presidente da Mesa Diretora da Câmara.
Na ocasião, alegou na declaração à Justiça Eleitoral ter apenas um terreno de R$ 17,5 mil na cidade mineira. O Castelo Monalisa teria sido passado para o nome dos filhos do político em 1993, segundo declarações dadas pelo seu advogado, Sérgio Augusto Santos Rodrigues.
Em fevereiro de 2014, após a renúncia de Eduardo Azeredo (PSDB-MG), Edmar Moreira voltou a ocupar o cargo de deputado federal pela última vez, filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).
Em dezembro de 2020, o “deputado do castelo” perdeu um filho. O ex-deputado estadual Leonardo Moreira morreu aos 46 anos após ficar internado por cerca de 40 dias no Hospital Monte Sinai, em Juiz de Fora, devido a uma apendicite aguda. Ambos foram sepultados no cemitério do distrito de Carlos Alves, em São João Nepomuceno.

O Castelo Monalisa

Castelo Monalisa tem 192 hectares de extensão, ou 1,92 km²
(foto: Leonardo Costa/Esp.EM/D.A Press)

A construção conta com 12 torres, 37 suítes com closet, hall de circulação, três grandes salas, cozinha industrial, bar, salão com churrasqueira, vestiários para funcionários, ducha escocesa, adega subterrânea, casa de máquinas, garagem coberta, capela, chafarizes, ar-condicionado central e floresta de eucaliptos. Ao todo, a propriedade tem 192 hectares de extensão – ou 1,92 km².

Proporcionalmente falando, o espaço construído para lazer ocupa o terreno de quatro famílias agricultoras de uma vez só, levando em consideração que 81% dos imóveis rurais no estado têm até 50 hectares, e a área do Castelo Monalisa é 3,8 vezes maior que isso.

Entre o portal principal e a entrada do castelo há um caminho de 4 km. Lá dentro, a área construída também tem proporções gigantescas. São 7.911,17 m², incluindo uma cozinha industrial com a capacidade de preparar refeições para até 200 pessoas e adega subterrânea para oito mil garrafas.

A mansão está encalhada desde 2019, e os herdeiros de Moreira – seus filhos Leonardo, que faleceu em 2020, e Júlio – tentaram se desfazer dela desde então. A propriedade seria leiloada em 2021 com lance inicial fixado em R$ 30 milhões, mas acabou sendo colocada à venda por R$ 40 milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 8 =