A Prefeitura de Montes Claros, através da Coordenadoria da Igualdade Racial da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, com apoio do Conselho Municipal da Igualdade Racial, da Juventude do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-Brasileira (JCENARAB) e das casas de religião de Matriz Africana de Montes Claros, realizará no sábado, 3 de fevereiro, na orla da Lagoa dos Patos, no Parque Municipal Milton Prates, uma homenagem a Iemanjá, cujo dia é comemorado em 2 de fevereiro.
O evento acontecerá das 8 ao meio-dia, com apresentações artísticas dos membros de terreiros de Umbanda e Candomblé, além de oferendas e procissão com andor do orixá, na orla da lagoa. “O intuito desta manifestação é para acabar com o preconceito e a intolerância religiosa, além de ser mais uma maneira de expressar publicamente a fé e dar visibilidade às religiões de matriz africana”, comentou.

O responsável pela Coordenadoria de Igualdade Racial de Montes Claros e presidente do Conselho de Igualdade Racial, José Gomes Filho, sugeriu que os participantes compareçam com vestimentas brancas e levem rosas para a festividade, em vez de outros itens, para evitar a poluição. “Festejar Iemanjá é respeitar a liberdade de crença e dizer não à intolerância religiosa”, sintetizou o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Aurindo Ribeiro.

IEMANJÁ
Conhecida como a “rainha do mar, nascida das águas”, seu nome tem origem nos termos do idioma Yorubá “Yèyé omo ejá”, que significa “Mãe cujos filhos são como peixes”. Por ser tida como a matriarca de quase todos os orixás, a divindade é associada à maternidade e à fecundidade, sendo uma das mais cultuadas e reverenciadas pelos praticantes de religiões de matriz africana. Iemanjá também é considerada protetora dos pescadores e jangadeiros

Ascom/Prefeitura de Montes Claros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − seis =