É óbvio que o coiso não tinha a dimensão de tamanho sucesso.

 Esperava, com certeza, atrair um eleitorado irresponsável, inconsequente, odioso e sanguinário. Esperava, com isso, ganhar projeção nacional. Talvez um pouco maior que Boulos, Eymael, Levi Fidelis, entre outros. E com isso conseguir ser ao menos presidente de partido político. Pois até então não administrou nada. Está inquieto, desassossegado.

E o diabo rindo à toa e perguntando: o que mais convenceu tanta gente?

– A ditadura matou pouco;

– os que sobreviveram não deveriam ter sido só torturados;

– mulher tem que ganhar menos que os homens:

– O trabalhador tem que escolher entre ter um emprego ou ganhar pouco:

– Preto é preguiçoso, pesa quinze arrobas;

– ter filha mulher é fraquejar;

– A alíquota do IR deve ser 20% para pobres e ricos;

– Filhos bem criados não correm o risco de casar com preto nem de se tornarem gays.

– A população deve ser armada.

Por essa nem o demônio esperava.

* Manoel Gusmão é Contador da cidade de Janaúba e colaborador do Em cima da notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 3 =