Em novo preconceito regional, Zema defende que próximo presidente seja do Sul ou Sudeste. Segundo o Governador de Minas somente o “Sul e Sudeste têm condições de levar adiante um bom projeto Brasil”

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, defendeu nesta segunda-feira (3) que o próximo candidato à Presidência da República seja proveniente do Sul ou Sudeste do Brasil. Segundo ele, essas regiões são representativas para a economia do país e necessitam de maior influência política, segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

Durante uma entrevista coletiva após uma palestra para empresários e membros do Partido Novo na Associação Comercial do Paraná, Zema explicou que os governadores do Sul e Sudeste estão trabalhando em conjunto e representam mais de 55% da população brasileira. Ele defendeu a união em torno de um candidato para as eleições de 2026, pois acredita que as regiões do Sul e Sudeste têm capacidade e condições para desenvolver um bom projeto para o Brasil.

Ao ser questionado se ele próprio seria um possível candidato, Zema preferiu apoiar outro nome, mencionando diversas opções à direita, como os governadores Tarcísio de Freitas, de São Paulo (Republicanos), e Ratinho Junior, do Paraná (PSD). “Eu vou contribuir muito mais apoiando [um candidato] do que propriamente sendo [um candidato]”, disse Romeu Zema, ao ponderar que “2026 está muito longe”. “E na política nós sabemos que tudo muda muito. Eu falo que política é uma correnteza e, por melhor que você nade, você vai depender da correnteza. É imprevisível”, acrescentou.

Em junho deste ano, o governador Romeu Zema já havia feito declarações preconceituosas às regiões Nordeste e Norte, ao criticar programas de distribuição de renda. Zema disse que as regiões Sul e Sudeste se diferenciam por ter mais trabalhadores do que dependentes de auxílio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + três =