Rodrigo Cadeirante sugere que haja investimento na segurança das estradas, com obras de duplicação, como na BR-251

  * Por Waldo Ferreira

Durante sessão ordinária da Câmara Municipal de Montes Claros, o vereador Rodrigo Cadeirante propôs que lideranças políticas e entidades representativas do Norte de Minas se unam para exigir uma contrapartida à empresa Sul Americana de Metais (SAM), subsidiária da chinesa Honbridge Holdings, que pretende investir US$ 2,1 bilhões de dólares em empreendimento de exploração de minério de ferro no Norte de Minas, mais precisamente na região que abrange Grão Mogol, Padre Carvalho, Fruta de Leite e Josenópolis.
O vereador entende que o interesse dos chineses é uma oportunidade para que os representantes da região reivindiquem dos investidores, por exemplo, a execução de obras de duplicação da BR-251, utilizando as Parcerias Público Privadas (PPP). A estrada foi novamente palco, no final de semana, de grave acidente em que morreram seis pessoas. Ele lembrou o histórico trágico do local.
Rodrigo Cadeirante disse que a vinda da mineradora para a região deve ser comemorada, mas ressaltou a necessidade de haver rigor nas tratativas com o grupo chinês no sentido de se evitar danos ambientais e tragédias como as ocorridas em Brumadinho.
A empresa planeja a construção de um complexo de mineração com um mineroduto, duas barragens de rejeitos e dois reservatórios de água na região de abrangência dos quatro municípios. A meta é extrair 27,5 milhões de toneladas anuais de minério, tratadas por processo tecnológico capaz de elevar o teor baixo de 20% de ferro – como o material é encontrado na natureza – para 66,5%, concentrado de alta qualidade e demanda no mercado internacional.

Unidade chinesa prevê investimento de cerca de 2,1 bilhões de dólares até 2025 e geração de mais de 6 mil empregos com extração de minério de ferro no Norte de Minas – Foto: Jerusia Arruda

O projeto prevê o uso da água para levar o minério de ferro por meio do mineroduto até o porto. Para isso, a empreendedora pretende construir uma barragem no Rio Vacaria, entre os municípios de Grão Mogol e Fruta de Leite.
Por recomendação do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Semad) suspendeu duas audiências públicas que seriam realizadas em Grão Mogol e Fruta de Leite, para discutir o empreendimento. As reuniões ocorreriam terça-feira (29) e quarta-feira (30), respectivamente.

* Jornalista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − onze =