Luiz André Tissot, dono do Grupo Sierra e um dos oito empresários que se tornaram alvos do Supremo Tribunal Federal (STF) por defenderem um golpe de Estado caso Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vença as eleições de outubro, aderiu ao movimento de doar R$ 1 para a campanha de reeleição de Jair Bolsonaro (PL).
Segundo informações divulgadas pelo Metrópoles, Tissot fez a transferência via Pix no dia 12 de setembro, data em que ainda estava valendo o bloqueio das contas bancárias de todos os empresários envolvidos no caso, determinado em 23 de agosto pelo ministro do STF Alexandre de Moraes.
Já de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, dos oito integrantes do grupo de WhatsApp Empresários & Política que faziam ataques ao Supremo, ao próprio TSE e a qualquer pessoa ou instituição que se opusessem ao atual governo, André foi o único a contribuir com Bolsonaro, sendo essa a única doação eleitoral que ele fez até o momento.
Até o último dia 15, o candidato à reeleição já havia recebido R$ 191 mil em doações de apenas R$ 1 via Pix. O movimento ganhou força após aliados do presidente reforçarem os pedidos de contribuição, independentemente da quantia.
Luciano Hang, da Havan, que também fazia parte do grupo a favor de um golpe, também fez uma doação enquanto estava com a conta bloqueada, mas o beneficiário foi Jorge Seif Júnior (PL), candidato ao Senado por Santa Catarina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =