Segundo informações da Polícia Militar, os dois são irmãos gêmeos e foram flagrados na mesma sala logo no início da aplicação das provas; eles estavam utilizando pontos eletrônicos, aparelhos celulares, fones de ouvido e documentos de identidade falsos. O caso foi registrado na Escola Estadual Armênio Veloso, no Bairro de Lourdes.

 Duas pessoas foram presas em Montes Claros (MG) por uso de ponto eletrônico durante o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo (4). Essas pessoas já vinham sendo monitoradas pela Polícia Federal. Além desses participantes, 69 foram eliminados, dois por se recusarem a ser revistados por detector de metal, e 67 por descumprimento das regras do edital, como ausentar-se antes do horário permitido, não atender orientações dos fiscais, entre outras.

O Enem é monitorado, pela primeira vez, no Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), além dos Centros Integrados de Comando e Controle Regionais (CICCR), distribuídos pelas unidades da Federação e com representantes de todas as forças de segurança envolvidas na aplicação.

Polícia Federal vai pedir perícia no ponto eletrônico usado por irmãos presos durante prova do Enem em Montes Claros


A Polícia Federal irá pedir uma perícia no ponto eletrônico apreendido com os irmãos gêmeos durante tentativa de fraude na prova do Enem nesse domingo (4). De acordo com o delegado responsável pelo caso, Thiago Garcia Amorim, o objetivo da perícia será identificar se o equipamento era capaz de receber sinais de fora do prédio onde a prova era realizada, ou se os dois estavam agindo sozinhos.

Os gêmeos de 22 anos foram flagrados na mesma sala da Escola Estadual Armênio Veloso, no Bairro de Lourdes. Com eles foram apreendidos ponto eletrônico, celulares, fones de ouvidos e RGs falsos. Segundo o delegado, os dois se mostraram arrependidos da tentativa de fraude.

“Eles perceberam que fizeram besteira. Pelo depoimento, eles afirmam que um deles terminaria a prova para passar as respostas ao irmão. Nossas investigações agora se concentram em esgotar todas as possibilidades de envolvimento de outras pessoas neste esquema”, afirma o delegado.

Gêmeos são presos usando durante prova do Enem


No depoimento, os gêmeos afirmaram ainda que estavam trabalhando e não estavam totalmente focados na realização da prova, e um deles pretente cursar medicina. De acordo com o advogado Emerson Coredeiro, os irmãos trabalhavam como atendentes de telemarketing e acredita que a atitude dos clientes foi apenas uma brincadeira de mau gosto.

“Eles são dois garotos que não o possuem envolvimento com nenhum tipo de crime. Isso foi uma atitude isolada, atípica. Como eles foram retirados da sala bem no início das provas, o crime está classificado na modalidade tentada. Inclusive, os celulares estavam sem bateria, o que impossibilita o crime. Estamos pedindo uma audiência de custódia e esperamos que eles sejam soltos nesta audiência”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 13 =