– INFLUÊNCIA TUCANA – Fundada por Ruth Cardoso, Comunitas participou da criação do texto apresentado na ALMG

 – Uma piada interna que circula nos bastidores da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) diz que o segundo turno das eleições ao governo do Estado, entre Antonio Anastasia (PSDB) e Romeu Zema (Novo), foi desnecessário, tamanha a influência e presença de tucanos na gestão estadual. A reforma administrativa apresentada pelo Executivo mineiro é prova inconteste da situação. Divulgado com alarde, o texto foi desenvolvido em parceria com a entidade Comunitas, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). O grupo é umbilicalmente ligado ao PSDB, tendo sido criado, inclusive, pela socióloga Ruth Cardoso (1930-2008), mulher do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Na própria página oficial do partido, uma série de notícias sobre ações da Comunitas é divulgada. A entidade é descrita como “uma organização da sociedade civil brasileira que tem como objetivo contribuir para o aprimoramento dos investimentos sociais corporativos e estimular a participação da iniciativa privada no desenvolvimento social e econômico do país”.

Atualmente, a Comunitas é presidida por Regina Célia Esteves de Siqueira, ex-diretora de Projetos Especiais durante o governo Fernando Henrique. Já na “parceria” entre a Comunitas e o governo Zema, a ex-secretária de Estado de Planejamento e Gestão do governo Aécio Neves (PSDB) Renata Vilhena foi quem coordenou os trabalhos.

 O Tempo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 10 =