Time carioca derrotou o Athletico Paranaense por 1 x 0 no Estádio Monumental de Guyaquil, no Equador, com gol de Gabigol
O Flamengo é tricampeão da Copa Libertadores da América. Na tarde deste sábado (29/10), o time carioca derrotou o Athletico Paranaense por 1 x 0 no Estádio Monumental de Guyaquil, no Equador, e uniu-se a Grêmio, Palmeiras, São Paulo e Santos na lista dos clubes brasileiros com três conquistas continentais. A série começou em 1981, na Era Zico, e ganha mais duas conquistas na Era Gabigol – 2019 e 2022.

O herói do título é o mesmo protagonista do bi. Gabriel Barbosa voltou a ser decisivo. Em 2019, o camisa 9 marcou dois gols no fim do segundo tempo e virou a decisão contra o River Plate em outro estádio Monumental, o de Lima, no Peru. Neste sábado, aproveitou cruzamento da direita do meia Éverton Ribeiro e surgiu sozinho na entrada da pequena área para desviar a bola rumo ao fundo da rede.

Gabigou fez a torcida relaxar depois de um primeiro tempo difícil. Luiz Felipe Scolari iniciou a partida sem centroavante, ou seja, um homem de referência na área. A movimentação pressionou o Flamengo. A trupe de Dorival Júnior tnha a posse de bola, mas o Furacão levava mais perigo ao ataque. Santos foi obrigado a intervir uma vez desviando finalização de Vitinho para escanteio. O zagueiro David Luiz vacilou na marcação e assustou a torcida.

Eficiente na marcação homem a homem, principalmente no arco Arrascaeta e na flecha Pedro, o Athletico-PR viu Filipe Luís deixar o campo lesionado. Ayrton Lucas o substituiu. Mais ofensivo, o lateral passou a agredir mais e a criar problemas para o lado direito da defesa adversária. O zagueiro Pedro Henrique teve de sair à caça do lateral-esquerdo, recebeu o segundo cartão amarelo e deu espaço para que o Flamengo crescesse na partida e abrisse o placar com Gabigol.

A inferioridade numérica do Athletico-PR virou uma tortura no segundo tempo. O Flamengo passou a tocar a bola e abusou de perder gols para matar a decisão. Bento, por exemplo, cresceu em cima de Gabigol quando o atacante surgiu sozinho na cara do gol do Furacão.

Valente, o Athletico-PR tentava pressionar sem se expor aos contra-ataques. Equanto isso, o calor de Guayaquil começava a maltratar as principais figuras do Flamengo. Assim como na final da Copa do Brasil, Thiago Maia e Arrascaeta deixaram o time exaustos. Gabigol também pediu substituição.

Como o Flamengo não definia o jogo, o Athletico insistia na tentativa do empate e quase igualou o placar em uma cobrança de falta venenosa do meia-atacante uruguaio Terans. Ex-jogador do time paranaense, o goleiro Santos saltou bonito no canto esquerdo para tranquilizar a inquieta nação rubro-negra. O árbitro ainda deu cinco minutos de acréscimos, mas era tarde. Com assinatura do artilheiro das decisões Gabigol, o Flamengo é tricampeão da América.

Aguardada decisão

“Foi a coroação de um todo um trabalho feito”, resumiu Pedro, artilheiro da competição com 12 gols, em rápida entrevista ao fim da partida. “Mostrou mais uma vez a força que esse grupo tem”, continou, elogiando o técnico Dorival Júnior. “A gente tem uma qualidade muito grande, um setor defensivo e um ataque muito bons.”

Gabigol superou Pelé e igualou Zico na lista de brasileiros com mais gols na competição, marcando quatro vezes. No topo está Coutinho, do Santos, autor de cinco gols. Após o jogo, perguntado sobre a Copa, ele respondeu: “Sim, é um sonho estar numa Copa do Mundo, trabalho e me esforço muito para isso”. “Preciso liberar a direita, o cabeceio, mas ninguém é perfeito”, refletiu. E celebrou a conquista: “O Rio de Janeiro é Mengão pra sempre”.

Confira a escalação do time vencedor:

  • 20 Santos

  • 22 Rodinei

  • 23 David Luiz

  • 4 Léo Pereira

  • 16 Filipe Luís

  • 26 Ayrton Lucas

  • 8 Thiago Maia

  • 5 Vidal

  • 35 João Gomes

  • 7 Everton Ribeiro

  • 14 Arrascaeta

  • 29 Victor Hugo

  • 9 Gabriel

  • 18 Everton

  • 21 Pedro

  • Técnico: Dorival Júnior

LIBERTADORES DA AMÉRICA
FINAL ÚNICA
Flamengo 1 x 0 Athletico-PR
Quando: Sábado (29/10), às 17h
Onde: Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, em Guayaquil, no Equador
Árbitro: Patricio Loustau (ARG)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 1 =