Há uma semana em casa, depois da alta na Fundação Dr. Moisés Magalhães Freire, Alessandra Alves segue se recuperando, agora perto da família, depois de um quadro grave de Covid-19, que a fez ficar internada por, aproximadamente, 50 dias, sendo 14 deles entubada.
“Foram dias muito difíceis, de angústia e lágrimas. O que amenizava a nossa dor era sabermos que ela estava sendo muito bem tratada e os boletins diários, que a equipe médica nos passava”. Revela dona Lurdes Alves, a mãe da ex-paciente.


Alessandra, de 43 anos, foi internada após sentir falta de ar, fraqueza e baixar a saturação, durante o período de quarentena em casa. “Ao levarmos para a Fundação, ela foi rapidamente atendida. Desde então, toda a equipe médica e funcionários nos deixaram mais tranquilos, com o ótimo atendimento”. Lembra a mãe.
Para ela, um dos piores momentos foi quando o funcionamento dos rins da filha esteve completamente comprometido, o que forçou a realização de sessões de hemodiálise por alguns dias. “Eu sempre disse que não tenho o que reclamar da Fundação. Minha filha foi muito bem tratada. Sentimos as mãos de Deus, através dos funcionários da Fundação, que são verdadeiras bênçãos. Sei que Deus usa as pessoas para operar milagres, como foi o que aconteceu com a equipe médica que cuidou da minha filha. Vou sempre orar por todos eles!”

Hebert Vinicius é jornalista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 10 =