Apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) passaram a acusar cinco generais do Alto Comando do Exército de não apoiarem os pedidos de golpe das Forças Armadas para impedir a posse do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Segundo a Folha de S.Paulo, em mensagens de grupos de WhatsApp, bolsonaristas afirmam que os oficiais são “generais-melancias” porque seriam “verdes por fora e vermelho por dentro”, associando os militares a Lula.

“Dos dezenove [são 16 generais quatro estrelas, na verdade], estes cinco não aceitam a proposta do povo. Querem que Lula assuma, já se acertaram com ele”, diz o texto, com a foto dos militares.

A mensagem deixou generais do Alto Comando do Exército irritados. Na manhã de ontem, eles passaram a discutir entre si e com o comandante da Força general Freire Gomes, para tentar desmentir a informação.

Segundo relatos de dois generais à Folha, a avaliação é que os colegas passariam a ser alvo dos manifestantes e ficariam expostos caso a mensagem fosse recebida sem qualquer desconfiança por apoiadores de Bolsonaro.

Buscando diminuir o impacto da mensagem, o comandante Freire Gomes mandou o chefe do Centro de Comunicação do Exército, general José Ricardo Vendramin, escrever um comunicado para todos os militares da Força.

“Nos últimos dias, têm sido observadas postagens em aplicativos de mensagens com alusões mentirosas e mal-intencionadas a respeito de integrantes do Alto Comando do Exército”, diz o documento. “Tais publicações têm se caracterizado pela maliciosa e criminosa tentativa de atingir a honra pessoal de militares com mais de quarenta anos de serviços prestados ao Brasil, bem como de macular a coesão inabalável do Exército de Caxias”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + seis =